7 curiosidades sobre o Egito Antigo

0

O Egito Antigo, até hoje é alvo de muitos estudos e desperta a curiosidade de pessoas de todo o mundo. Isso porque os antigos egípcios possuíam conhecimentos avançados para a sua época, o que pode ser comprovado com a construção das pirâmides.

Esta civilização se desenvolveu às margens do rio Nilo, que com suas cheias, fertilizavam o solo e favorecia a agricultura.

As cidades mais desenvolvidas foram: Mênfis, Tebas, Amarna, Lúxor, Heliópolis, Abusir, Assuã e Alexandria.

Os costumes desse povo também intrigam e despertam a curiosidade. Sendo assim, preparamos uma lista com 7 curiosidades sobre o Egito antigo:

1 – O incesto era comum

farao-tutancamon

No Egito Antigo, o casamento entre parentes (consanguíneos) era visto como algo comum. Inclusive entre irmãos. O faraó Tutancâmon, por exemplo, era filho do faraó Akhenaton com sua irmã.

Isso pode explicar os problemas de saúde e defeitos genéticos das pessoas nobres da civilização egípcia.

Tutancâmon tinha lábio quase leporino e o pé torto e com necrose. Foram encontradas diversas bengalas em sua tumba.

2 – Cuidados de beleza

beleza-egipcia

Um faraó não poderia deixar ninguém ver seus cabelos, dessa forma, era comum esses reis egípcios usarem uma peruca ou touca para escondê-los.

Os ricos se diferenciavam dos pobres por usar perucas. Já os pobres usavam cabelos compridos, que poderiam ou não ser amarrados.

Até os 12 anos de idade, os meninos egípcios deveriam ter as cabeças raspadas para evitar piolhos.

  8 perturbadores distúrbios do sono

A maquiagem era usada não apenas por mulheres, mas por homens também. Além disso, os egípcios acreditavam que a maquiagem possuía poder curativo.

3 – Vestimentas

roupas-egito-antigo

Até a adolescência, os egípcios não usavam roupas. Esse costume se devia ao calor da região.

Depois de adultos, as mulheres usavam vestidos e os homens saias.

4 – Gatos sagrados

desenho-gato-sagrado-egito

No Egito Antigo os gatos eram considerados sagrados.

Esses animais eram tratados como deuses. Isso pode ser visto nos escritos e desenhos nas pirâmides, assim como nas estátuas da deusa Bastet, representada por uma mulher com cabeça de gato.

A adoração dos gatos se deve ao favor que eles faziam ao povo egípcio ao livrar a região dos ratos. Desse modo, ter um gato em casa significava sorte e proteção.

Para reverenciar os gatos, as mulheres pintavam os olhos para se assemelhar ao olhar felino.

A pessoa que machucasse ou contrabandeasse um gato poderia ser punido até com pena de morte.

No século XIX um carregamento com 180.00 múmias de gatos foi transportado para Inglaterra para virar fertilizante.

5 – Criação do universo

criacao-do-universo

Para os egípcios, o universo havia sido criado pelo deus Shu e pela deusa Tefnut. Eles eram também os pais da deusa do céu, Nut, e o deus da terra, Geb.

Da união dos deuses do céu e da terra nasceram Isis, Osíris, Nêftis e Seth.

  5 casos intrigantes de suposta reencarnação

O primeiro rei egípcio (Horus) seria fruto da união entre Osíris e Iris.

Assim, os faraós seriam herdeiro de Hórus e, consequentemente, do trono do Egito.

6 – Construção das pirâmides

piramides-do-egito

Todas as pirâmides do Egito foram construídas na margem oeste do Rio Nilo. Esta é a direção do sol poente.

Isso foi feito de forma proposital, pois acreditava-se que após o sepultamento os faraós se juntariam ao sol.

7 – Repelente humano

corpo-coberto-por-mel

Para não ter moscas e outros insetos ao seu redor, Pepi II ou Neferkara Pepi, o quinto rei da VI dinastia egípcia, colocava ao seu redor vários escravos nus com o corpo lambuzado de mel.

Apesar dos benefícios do mel, neste caso ele era usado apenas parar atrair os insetos e livrar o rei do incômodo.

Pepi II é tido como o último faraó de destaque do Egito Antigo.

Deixe um Comentário