Na Austrália, pato aprende a xingar e repetir sons como um papagaio

0

A fauna da Austrália sempre surpreende, embora dessa vez, ao menos, não seja nada mortal, apenas inusitado: um pato que repete sons como um papagaio.

echo alexa

O pato almiscarado é uma espécie nativa do país, que aprende a emitir sons como assovios com as aves mais velhas do bando, mas quando um deles é criado em cativeiro e cuidado por humanos, as coisas podem sair diferentes.

Ripper é um pato almiscarado que viveu na Reserva Natural de Tidbinbilla, nas proximidades de Camberra, na Austrália.

Durante os anos 80, ele demonstrou um comportamento peculiar que já havia sido registrado, mas só foi realmente estudado agora, por um pesquisador da Universidade de Leiden, nos Países Baixos: Ripper repetia os sons que ouvia ao seu redor.

O problema do cativeiro é que alguns sons podem ser bem diferentes do que o animal normalmente ouviria na natureza, com seus companheiros da mesma espécie.

O que aconteceu no caso de Ripper é que ele passou a imitar sons como o da porta de sua jaula sendo fechada, murmúrios e ainda um mal-educado “you bloody fool!”, expressão em inglês que pode ser traduzida como “seu idiota!”.

Não acredita? Pois ouça:

O estudo coloca o pato almiscarado oficialmente na lista de aves (e outros animais) que conseguem imitar sons e reproduzi-los. Os exemplares mais famosos são os papagaios, pássaros canoros, beija-flores e até morcegos, elefantes e baleias.

Papagaios d’água?

O pato almiscarado Ripper não é o único da espécie a apresentar tal comportamento, embora tenha sido o primeiro estudado, tantos anos depois.

Patos almiscarados criados em cativeiros ou em zoológicos tendem a repetir sons, inclusive de outros animais e até pessoas tossindo, entre outros barulhos ao seu redor, das mais diversas origens.

Uma característica interessante é que os patos almiscarados parecem começar a imitar ainda jovens, com poucas semanas de vida.

Isso foi observado em outros animais da espécie na Austrália, que dividiam o cativeiro com patos de outras espécies, e acabaram repetindo as mesmas vocalizações de seus “primos”.



Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com