Avião solar passa em testes e vira realidade

0

O avião solar já é realidade. O modelo Solar Impulse 2 concluiu, nesta semana, a etapa mais arriscada de seus testes. A aeronave terminou o percurso de cruzamento do Oceano Pacífico e chegou à Califórnia, nos Estados Unidos.

A viagem teve início no Havaí, também nos Estados Unidos, e durou três dias. O responsável por pilotar o avião solar foi um de seus criadores, o suíço Bertrand Piccard. O percurso percorrido foi de 4.528 quilômetros.

O trajeto foi iniciado em 2015, mas só foi finalizado neste ano porque a aeronave ficou parada no Havaí por 300 dias, em função de avarias sofridas durante um voo que saiu do Japão. São 13 etapas para dar a volta ao mundo.

Por ter passado no teste da etapa mais perigosa, que era cruzar o Oceano Pacífico, o avião solar já se torna uma realidade. A ideia, agora, é seguir até Nova Iorque, de onde seguirá à Europa, para a África e, enfim, para o local de início da viagem: Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos.

Como funciona o avião solar

Solar Impulse 2 eighteenth flight

O avião Solar Impulse 2 foi projetado para voar sem precisar de combustível ou de emissões poluentes. O intuito é mostrar as potencialidades das energias renováveis.

Trata-se de uma solução de mobilidade que pode ser utilizada, também em outros tipos de veículos, sejam aéreos ou terrestres. A situação de aquecimento global vivida pelo planeta faz com que sejam pensadas alternativas para a dependência da energia fóssil.

Para conseguir obter a energia necessária, o Solar Impulse 2 tem 17 mil painéis solares em suas asas, que têm envergadura maior que as de um Boeing 747, uma das maiores aeronaves já desenvolvidas.

Veja também:   Como é ter ouvido absoluto e por que isso pode ser perturbador?

Para voar durante a noite, a aeronave faz uso de baterias para armazenar energia durante o dia. Ou seja, há reserva energética para que os voos também aconteçam sem a presença de raios solares.

O vídeo abaixo (em inglês) explica o funcionamento do avião Solar Impulse 2:

Evolução

3-aviao-solar-impulse-2

Bertrand Piccard trabalha em parceria com André Borschberg desde 2003. A primeira aeronave, Solar Impulse 1, voou pela primeira vez em 2009. O seu potencial era reduzido: apesar dos 63 metros de envergadura, tinha o peso de um carro popular (1,6 tonelada), um motor de 40 cavalos e a velocidade máxima de 70 km/h.

Após os testes do primeiro modelo, veio o Solar Impulse 2, que tem quase 72 metros de envergadura, atinge o dobro da velocidade (140 km/h) e tem maior peso (2,3 tonelada).

Ficha técnica – avião Solar Impulse 2

– Tripulação: uma pessoa

– Comprimento: 22,4 metros

– Envergadura: 71,9 metros

– Altura: 6,37 metros

– Área da asa: 17,248 células fotovoltaicas cobrem a parte superior das asas, fuselagem e leme horizontal para uma área total de 269,5 m² (pico de 66 kW)

– Peso carregado: 2,3 toneladas

– Motor: 4 x motores elétricos alimentados por células solares e 4 x 41 kWh de lítio-íon (633 kg), fornecendo 13 kW, motores elétricos (17,4 cv) cada

– Diâmetro da hélice: 4 metros

– Velocidade de decolagem: 20 kN (36 km/h)

– Velocidade máxima: 77 kN (140 km/h)

– Cruise speed: 49 kn (90 km/h) durante o dia e 33 kn (60 km/h) durante a noite, para economizar energia)

Veja também:   Sol vermelho e céu cinzento chamam a atenção em todo o Brasil

– Teto: 8,5 km (27,9 mil pés) com uma altitude máxima de 12 km (39 mil pés)



Deixe um Comentário

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com