China faz teste de ‘Palácio Lunar’ ao preparar missão para a Lua

0

Os estudantes chineses viverão em um laboratório que simula um ambiente semelhante ao lunar por até 200 dias, enquanto Pequim se prepara para alcançar a sua meta a longo prazo de levar seres humanos até a lua.

Quatro estudantes de pós-graduação da Universidade de Pesquisa de Astronáutica da capital, Beihang, entraram na cabine de 160 metros quadrados, chamada de “Yuegong-1”, na quarta-feira, informou a agência oficial de notícias Xinhua.

Os voluntários viverão no laboratório selado para simular uma missão espacial de longo prazo, sem qualquer interferência do mundo exterior, informou a Xinhua.

Os resíduos humanos serão tratados com um processo de bio-fermentação e culturas experimentais de vegetais e legumes serão cultivadas com a ajuda de alimentos e subprodutos de resíduos.

A cabine representa a “tecnologia de suporte de vida em circuito fechado mais avançada do mundo até agora”, disse a emissora estatal CCTV.

A China não espera chegar com os seus primeiros astronautas na Lua por pelo menos mais uma década, mas o projeto visa ajudar o país a preparar exploradores lunares para estadias mais longas na superfície.

Dois homens e duas mulheres entraram no laboratório na quarta-feira para uma estadia inicial de 60 dias. Eles serão então substituídos por outro grupo de quatro, que permanecerão 200 dias, antes de retornar para um período adicional de 105 dias.

O “Palácio Lunar” tem dois módulos de cultivo de plantas e uma cabine de moradia: são 42 metros quadrados contendo quatro cubículos de camas, uma sala comum, uma casa de banho, uma sala de tratamento de resíduos e uma sala para criar animais.

“Eu serei o responsável pelo tratamento de resíduos sólidos, urina, trituração de palha, trigo trituração, processamento de alimentos e outros trabalhos”, disse um dos estudantes voluntários para a CCTV, acrescentando que outros membros da equipe teria tarefas relacionadas ao cultivo, monitoramento de saúde e estoque de suprimentos.

Primeiros passos

Um teste bem-sucedido de 105 dias foi realizado em 2014. O Palácio Lunar já é a terceira base bioregenerativa de apoio à vida do mundo, mas é a primeira delas a ser desenvolvida na China.

É a única instalação desse tipo a envolver animais e microrganismos, bem como plantas e seres humanos. Seu designer chefe, Liu Hong, disse CCTV que ele deve ser considerado como sendo “o primeiro de seu tipo”.

A China está investindo bilhões em seu programa espacial militar e trabalhando para alcançar os Estados Unidos e a Europa, com a esperança de ter um posto avançado com tripulação até 2022.

Pequim vê o programa como um símbolo do progresso do país e como um marco de sua crescente presença global, mas até o momento, a maior parte do que a China tem feito é reproduzir as atividades que os EUA e a União Soviética fizeram de forma pioneira há décadas.

No mês passado, a primeira espaçonave de carga da China, Tianzhou-1, concluiu com êxito o acoplamento com um laboratório espacial em órbita.

Fonte: Phys.Org

  WannaCry: Rússia ou Coreia do Norte podem estar ligadas a ataque hacker global

Deixe um Comentário

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com