Conheça o macabro caso de Carl Tanzler e do cadáver de sua amada

1

A vida de Carl Tanzler tinha tudo para ser convencional. Ele se mudou com esposa e filhas para Zephyrhills, na Flórida, Estados Unidos. Pouco tempo depois, ele deixou sua família e foi para uma cidade chamada Key West, que fica em uma ilha no mesmo estado. Contratado como técnico de raios-X no Hospital da Marinha Americana, o homem também atendia pelo nome de Carl von Cosel.

Atenção: há imagens fortes nesta publicação. Não siga a leitura sem ter consciência disso.

Um dia, em 1930, a vida monótona de Carl ganhou um novo significado. Ele já estava na casa dos seus 50 anos quando pôs os olhos em uma paciente, chamada Maria Elena Milagro de Hoyos. Ela estava com tuberculose e sua mãe a levou para o hospital em busca de tratamento.

Maria Elena Milagro de Hoyos
Maria Elena Milagro de Hoyos

Carl Tanzler se apaixonou perdidamente pela jovem cubana de 21 anos. Ele não tinha formação médica, mas sabia que a doença de Maria Elena estava evoluindo, então ele a levou para a casa de seus pais com vários equipamentos de diagnóstico – como raios-X e remédios – e presentes como jóias e roupas, já que ele estava apaixonado por ela.

Maria Elena Milagro de Hoyos sucumbiu à doença e morreu em 25 de outubro de 1931. Carl Tanzler pagou os custos do funeral e construiu um mausoléu para Maria Elena no cemitério da cidade. Tudo isso feito com a aprovação da família. Durante um ano e meio, Carl passou quase todas noites visitando o túmulo de sua amada.

No entanto, Carl Tanzler ficou obcecado por Maria Elena Milagro de Hoyos de uma forma bem macabra. Ele relatava que, ao se sentar no túmulo de Maria Elena, o espírito dela vinha e cantava em espanhol para ele e também lhe pedia para levá-la embora de lá. Em abril de 1933, Carl roubou o corpo em decomposição e o levou para sua casa.

Casa de Carl Tanzler em Key West, Flórida
Casa de Carl Tanzler em Key West, Flórida

Carl Tanzler dedicou-se a preservar o cadáver de maneiras inimagináveis. Ele firmou os ossos do corpo com cabides e fios, colocou olhos de vidro na cavidade ocular e substituiu a carne podre por panos de seda tratados com cera e gesso. Ele preencheu com trapos as cavidades abdominais e torácica para manter a ilusão da forma humana.

Corpo de Maria Elena
Corpo de Maria Elena

O cadáver recebeu uma peruca (feita com os cabelos reais de Maria Elena, recolhidos por sua mãe e entregues a Carl na época de sua morte), roupas, jóias e acessórios. Com relação ao cheiro, o homem usou várias garrafas e frascos de perfume para ocultar o odor e conservantes para retardar a decomposição, como o formaldeído.

Ele passava dias com o corpo. Dançava com o cadáver e se deitava com o mesmo todas as noites em sua cama. Possivelmente, praticava necrofilia. Carl Tanzler tinha até mesmo inserido um tubo de papel dentro da cavidade vaginal do cadáver.

Depois de sete longos anos, os rumores perturbadores começaram a chegar à família. Certo dia, a irmã de Maria Elena, Florinda, decide ir a casa de Carl Tanzler para confrontá-lo. Para seu horror, ela descobriu que ele mantinha o cadáver de sua irmã em casa. Florinda chamou as autoridades e Carl acabou preso por crime de roubo de túmulos.

Carl Tanzler com o Dr. Julio Depoo e advogados
Carl Tanzler com o Dr. Julio Depoo e advogados

Julgamento de Carl Tanzler

Após uma avaliação psiquiátrica, Carl Tanzler foi diagnosticado mentalmente competente para ser julgado. Segundo relatos, ele alegou que planejava usar um dirigível para voar com “sua esposa” até a estratosfera, de modo que a radiação do espaço exterior poderia penetrar nos tecidos de Maria Elena e restaurar sua vida.

Durante uma audiência preliminar, o caso foi arquivado, porque o estatuto de limitações havia expirado. Carl Tanzler era um homem livre.

O cadáver foi examinado por patologistas e médicos, e devido ao seu estado original, ele foi colocado em exposição pública na Casa Dean-Lopez Funeral. Mais de seis mil pessoas viram as características perturbadoras do cadáver.

O caso ganhou muita atenção da mídia à época. Parte do público simpatizava com Carl Tanzler e pensava nele mais como um excêntrico apaixonado do que como um necrófilo maluco.

Enfim…

Após ter se tornado um espetáculo turístico, o cadáver de Maria Elena voltou ao Cemitério de Key West. O corpo foi colocado numa cova sem marcação e, enfim, foi capaz de descansar em paz.

Carl Tanzler mudou-se para Pasco County, Flórida, em 1944. Ele escreveu uma autobiografia que foi publicada na revista Fantastic Adventures. Sua ex-esposa o apoiou até o final de sua vida. Ele também recebeu sua cidadania americana, pois era alemão.

Ainda apaixonado, Carl criou um molde de gesso (chamada de máscara da morte) do rosto de Maria Elena, que fazia parte de uma escultura em tamanho real, criada a sua semelhança. Ele morreu em 1952 e foi encontrado deitado no chão quase um mês depois de sua morte, envolvido nos braços da escultura de Maria Elena.



fonte gizmodo
Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com