O mistério das cores que existem, mas não conseguimos enxergar

0

É verdade que existem cores que não conseguimos enxergar? O espectro captado pelo olho humano é limitado, então dá para afirmar que sim.

Essas cores provavelmente estão presentes no nosso dia-a-dia, mas simplesmente não conseguimos processá-las. Ao menos não sem algum tipo de equipamento e, principalmente, sem uma boa dose de imaginação ao lidar com essas cores.

A maioria dessas cores, muitas vezes chamadas de “proibidas”, é o resultado da fusão de outras duas cores, que geralmente se encontram muito distantes no espectro visível. Ao misturá-las, obtemos uma terceira cor, mas existe um meio termo entre as cores iniciais e a nova. Isso ocorre devido a um fenômeno chamado processo oponente.

Isso significa que, para detectar uma determinada cor, células cerebrais se ativam. Mas para detectar uma segunda cor que esteja ali, as mesmas células não vão se ativar.

O olho humano pode até detectar a cor, mas o cérebro irá interpretá-la como um “verde avermelhado”, ou um “amarelo azulado”, por exemplo, sempre com uma das duas predominando.

No caso de cores que estão fora do espectro visível, no chamado infravermelho ou ultravioleta, é mais provável que o nosso cérebro interprete tudo como branco mesmo, já que essas misturas estão além de nossa compreensão. Há ainda questões culturais.

Alguns povos, como os esquimós, conseguem descrever nuances de branco, por causa da neve, que nós brasileiros jamais entenderíamos.

Experimentando

Em 1983, cientistas americanos realizaram um experimento, onde voluntários observaram painéis com cores que se alternavam, sempre duas a cada vez.

Veja também:   Rothschild: saiba quem é a família mais rica do mundo

Rastreando as células da retina, os pesquisadores descobriram que elas se dividiam: metade recebia informações de uma cor, enquanto a outra metade ficava com a outra cor, nunca se misturando.

No entanto, com a velocidade com que elas eram exibidas, os voluntários começaram a ver a mistura acontecer, gerando tons que eles simplesmente não conseguiam descrever para os cientistas. O que eles viram, era o que chamamos de “cores proibidas”.



Deixe um Comentário

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com