25 curiosidades sobre a osteoporose

0

A osteoporose é uma doença que provoca a perda acelerada da massa óssea, que ocorre durante o envelhecimento. Ela provoca a diminuição da absorção do cálcio e de minerais. Todos os anos, milhões de pessoas são diagnosticadas com a doença, principalmente as mulheres. Confira algumas curiosidades sobre a osteoporose.

curiosidades sobre a osteoporose

Confira algumas curiosidades sobre a osteoporose

 

Número elevado
Mais de 40 milhões de pessoas nos Estados Unidos ou já têm osteoporose ou estão em alto risco de desenvolver a doença devido à baixa massa óssea.
O número da doença no mundo
Em todo o mundo, a International Osteoporosis Foundation diz que uma em cada três mulheres e um em cada cinco homens têm osteoporose, para um total de mais de 200 milhões de pessoas.
Osteoporose na faculdade
Um estudo realizado na Universidade do Arkansas descobriu que 2% das mulheres na faculdade têm osteoporose e mais de 15% têm níveis tão baixos de densidade óssea que estão em alto risco de desenvolver a doença em um futuro próximo.
Os jovens que se cuidem
Um número crescente de mulheres e homens jovens está sendo diagnosticado com osteoporose devido a desequilíbrios hormonais (diabetes, irregularidades menstruais, menopausa cirúrgica, terapia de esteroides de longo prazo) e má nutrição.
A perigosa fratura no quadril
A National Osteoporosis Foundation estima que cerca de 24% de aproximadamente 300.000 pessoas que fraturam o quadril a cada ano morrem dentro de um ano. Muitos outros sofrem de depressão séria e se afastam da sociedade porque têm muito medo de quebrar os ossos. As fraturas do quadril são uma das consequências mais graves da osteoporose.
Cuidado com o refrigerante
Pesquisas sugerem que os refrigerantes, particularmente aqueles que contêm ácido fosfórico, aumentam o risco de osteoporose.
As maiores e menores taxas
Os Estados Unidos têm uma das mais altas taxas de osteoporose no mundo. Cingapura, Hong Kong, Japão e certas partes da África do Sul têm historicamente taxas muito baixas da doença.
Falta de cálcio entre as meninas
Um relatório de 2004 sobre a saúde óssea emitido pelo United States Surgeon General revelou que 9 em cada 10 meninas adolescentes nos EUA não conseguem obter cálcio suficiente.
Não é recente
Antigos esqueletos e múmias revelam que a osteoporose existe há milhares de anos.
O primeiro reconheciemnto
A osteoporose foi formalmente reconhecida como uma doença nos anos 1800, quando o cirurgião inglês Astley Cooper (1768-1841) descreveu-a e notou que geralmente afeta pessoas mais velhas.
Derivado do grego
Em 1820, o médico francês Jean Lobstein (1777-1835) chamou a doença de “osteoporose” porque os ossos dos pacientes tinham orifícios ou poros maiores do que o normal. O termo “osteoporose” é do grego osteon, que significa “osso”, e poros, que significa “passagem” ou “espaço”.
As várias fases dos ossos
A massa óssea dobra entre o nascimento e a idade de 2 anos, dobra outra vez pelos 10 anos, e dobra-se outra vez durante a puberdade. Continua a aumentar até cerca dos 30 anos, quando atinge o pico ou o máximo da massa óssea. Depois disso, mais tecido ósseo é perdido do que é substituído durante a remodelação óssea, resultando em uma perda de 5 a 10% de massa óssea por década de vida.
A doença silenciosa
Porque a osteoporose não tem nenhum sinal de aviso, os médicos peritos chamam-na de uma doença silenciosa. Muitas vezes, o primeiro sintoma da osteoporose é um osso pouco quebrado ou nenhum trauma.
As fraturas espinhais
Fraturas espinhais são o tipo mais comum de fratura óssea resultante da osteoporose. Somente nos Estados Unidos, há mais de 550.000 fraturas desse tipo a cada ano.
Não é parecido com um osso normal
Quebrar um osso devido à osteoporose é diferente do que quebrar o osso de uma pessoa normal. Os cientistas observam que os ossos osteoporóticos muitas vezes cicatrizam mais lentamente e menos completamente do que os ossos normais, provavelmente porque eles contêm menos minerais ósseos e outros materiais essenciais para a cura.
As várias “remodelações”
Os ossos estão em constante estado de “remodelação”; em outras palavras, o osso velho é quebrado e substituído pelo novo. A osteoporose ocorre devido à perda de uma matriz de minerais e proteínas, tornando os ossos extremamente frágeis.
Elas são mais propensas do que eles
As mulheres são mais propensas a desenvolver osteoporose porque elas normalmente têm menos massa óssea do que os homens. Mulheres que sofrem de menopausa também experimentam uma repentina perda de estrogênio, um hormônio sexual que ajuda a construir e manter os ossos saudáveis.
Como identificar a doença
A osteoporose pode ser sugerida por raios X e confirmada por testes que medem a densidade óssea.
Os tratamentos
A osteoporose é tratada com medicamentos prescritos, interrompendo o uso de álcool e cigarros, exercícios adequados, cálcio e vitamina D.
Fraturas no quadril
Mais mulheres do que homens fraturam o quadril devido à osteoporose. Porém, homens com fraturas de quadril são quase duas vezes mais propensos a morrer ao ano depois que a quebra ocorre. Os pesquisadores acreditam que isso ocorre porque os homens tendem a manter fraturas de quadril em uma idade mais avançada do que as mulheres, e sendo mais velhos aumenta o risco de morte. Homens com fraturas de quadril também são mais propensos a desenvolver infecções fatais.
A osteoporose e seus vários gastos
Fraturas de osteoporose custam cerca de US$ 18 bilhões por ano, ou US$ 38 milhões por dia. Em 2005, as fraturas relacionadas à osteoporose foram responsáveis por cerca de US$ 19 bilhões. Até 2025, os especialistas preveem que o valor subirá para US$ 25,3 bilhões.
As situações que aumentam o risco
Existem muitas situações que podem aumentar o risco de uma pessoa obter a osteoporose, incluindo uma doença crônica, como doença hepática ou renal, uso crônico de corticosteroides (hormônios esteroides) como prednisona, dificuldade em absorver nutrientes devido a problemas no estômago ou intestino, deficiências de estrogênio ou testosterona, uso excessivo de tabaco ou álcool, baixo peso corporal, anorexia nervosa, falta de exercício, alguns medicamentos, longos períodos de imobilização, má nutrição, baixa vitamina D, alta ingestão de cafeína, inflamação e estresse crônico.
Os vários fatores de risco
Os fatores de risco para o desenvolvimento da osteoporose incluem o sexo (as mulheres são mais propensas a desenvolver a doença), a idade, o tamanho do corpo (mulheres pequenas e magras estão em maior risco), etnia (mulheres brancas e asiáticas estão em maior risco) e história familiar.
Vamos beber mais leite
Estudos mostram que os rapazes adolescentes que ingerem menos de 1.000 miligramas de cálcio diariamente e as meninas que ingerem menos de 850 miligramas por dia não vão atingir a sua massa óssea ideal.
As mulheres têm mais osteoporose
De acordo com a National Osteoporosis Foundation (NOF), 80% das pessoas com osteoporose são mulheres.
Veja também:   Cidade no oriente médio pode ter sido destruída por explosão cósmica

 

FONTE



Deixe um Comentário

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com