30 surpreendentes curiosidades sobre o aborto

1

O aborto é a remoção ou expulsão prematura de um embrião ou feto do útero. O número de mulheres que realizaram o aborto reduziu nos últimos anos, devido a um maior planejamento familiar e aos métodos contraceptivos. Confira 30 surpreendentes curiosidades sobre o aborto.

curiosidades sobre o aborto

Confira as mais surpreendentes curiosidades sobre o aborto

 

A taxa mais alta
O Leste Europeu tem a taxa de aborto mais alta do mundo, com 43 abortos a cada 1.000 mulheres.
Diferença étnica
Nos Estados Unidos, as mulheres negras são pelo menos cinco vezes mais propensas a fazerem um aborto do que as mulheres brancas. Aproximadamente 1.876 bebês negros são abortados todos os dias.
Entre as opiniões
Aproximadamente 51% dos adultos norte-americanos dizem que o aborto deve ser legal em todos ou na maioria dos casos. Cerca de 43% dizem que deve ser ilegal na maioria dos casos. Estes números permaneceram bastante estáveis nos últimos 20 anos.
Erro na informação
Em 2000, 154 mulheres grávidas nos Estados Unidos foram informadas incorretamente que seus fetos tinham síndrome de Down. Dois abortos foram realizados.
Métodos antigos para o aborto
Um papiro egípcio antigo sugere fezes de crocodilo como um abortivo. Outros médicos antigos recomendaram manchar o revestimento uterino com gordura de ganso, purê de alho-poró e aipo, mel cozido e esterco de rato.
Não é um método atual
O aborto cirúrgico era bem conhecido no mundo antigo. Textos antigos, como Diseases of Women, Superfetation and On the excision of the foetus referem-se a uma ferramenta cirúrgica chamada embruosphaktes, que significa “embrião-assassino”.
Conselho para mulheres
Norma McCorvey é “Jane Roe” no caso Roe vs. Wade. Desde então ela se tornou pró-vida e é a fundadora do “Roe No More”, uma organização que fornece aconselhamento para mulheres que buscam fazer o aborto.
Aborto na Alemanha Nazista
A Alemanha Nazista proibiu mulheres que eram consideradas “boas” de obter abortos, embora permitisse abortos para aquelas que estavam “hereditariamente doentes”.
Números relativamente altos
Há cerca de 208 milhões de gravidezes a cada ano em todo o mundo. Destes, 31 milhões terminam em aborto espontâneo ou morte fetal por causas naturais. Em torno de 41 milhões (20%) terminam em aborto. Cerca de metade desses abortos são ilegais.
Muito aborto por dia
Nos Estados Unidos, há cerca de 1,2 milhão de abortos por ano, ou cerca de 3.322 abortos por dia. A taxa de aborto diminuiu de forma constante desde 1980.
A dor fetal
A dor fetal é extremamente difícil de determinar nos primeiros meses de gravidez porque a dor envolve complexos fatores sensoriais, emocionais e cognitivos. Muitos estudiosos sugerem que um feto pode sentir dor em torno de 28 semanas de gestação.
A maioria já é mãe
Cerca de 59% das mulheres que fazem abortos nos Estados Unidos já são mães.
As maiores taxas de aborto
Algumas das maiores taxas de aborto no mundo estão em países latino-americanos e outros lugares onde o aborto é altamente restrito, mas a contracepção é difícil de encontrar.
As menores taxas de aborto
Algumas das taxas mais baixas de aborto estão em países da Europa Ocidental onde os anticoncepcionais modernos estão prontamente disponíveis e onde o aborto é seguro, legal e acessível.
Sem acesso aos contraceptivos
Estima-se que 225 milhões de mulheres que vivem em regiões em desenvolvimento não tenham acesso adequado aos métodos contraceptivos.
Famosa abortista do século XIX
Madame Restell foi uma das abortistas mais famosas da Grã-Bretanha em meados do século XIX. Ela cometeu suicídio cortando sua própria garganta depois que ela foi acusada e mandada para a prisão.
Famosas e o aborto
As mulheres famosas que falaram sobre seus próprios abortos incluem Chelsea Handler, Sharon Osborne, Vanessa Williams, Margaret Cho, Toni Braxton, Gloria Steinem, Shepherd de Sherri, Joan Collins, Penny Marshall, Maureen McCormick, Sinead O’Connor, Whoopi Goldberg e Billie Jean King.
O aborto na Índia antiga
Na Índia antiga, era aceitável para os intocáveis (a classe mais baixa) ter abortos a qualquer hora que quisessem. Era ilegal para as 3 principais classes e uma mulher que praticasse o aborto poderia ser executada.
Dolorosa forma de aborto
Já em 1870, era comum para os abortistas puxar o dente de uma mulher grávida. Acredita-se que a dor e o choque da extração sem anestésico causaria o aborto.
O aborto para Aristóteles
Segundo Aristóteles, um embrião masculino ganha uma alma após 40 dias de gestação, enquanto o feminino a ganha sua após 90 dias. Para Aristóteles, um aborto é aceitável antes do embrião receber sua alma.
Pior que o aborto?
No século VII, a Igreja Católica acreditava que o sexo oral era um pecado pior do que o aborto.
Aborto no Islã
Tradicionalmente, o Islã permite um aborto antes de 4 meses de gestação ou se a vida da mãe estiver em perigo. Um aborto após os 4 meses é considerado assassinato ou infanticídio.
Uma das últimas a morrerem na guilhotina
Marie-Louise Giraurd (1903-1943) foi uma das últimas mulheres a serem guilhotinadas na França. Ela foi condenada por realizar 27 abortos na área de Cherburgo e foi guilhotinada em 30 de julho de 1943.
O namoro que terminou mal, para os dois
Em 2016, o namorado de uma mulher grávida a executou porque ela se recusou a fazer um aborto.
Chega de aborto!
Em 1821, Connecticut tornou-se o primeiro estado nos Estados Unidos a proibir abortos depois do procedimento acelerar gradativamente no estado.
Visão das feministas sobre o aborto
As primeiras feministas, como Elizabeth Cady Stanton (1815-1902) e Susan B. Anthony acreditavam que o aborto era uma ferramenta masculina para explorar as mulheres e para evitar a responsabilidade de sustentar uma família.
O ginecologista em Auschwitz
Durante a Segunda Guerra Mundial, um ginecologista judeu em Auschwitz realizou abortos – com suas mãos apenas – para salvar mulheres grávidas de serem torturadas e mortas.
Os 16.000 fetos encontrados
Em 1982, mais de 16.000 fetos abortados foram encontrados em um recipiente de armazenamento recuperado na casa Woodland Hills de Malvin Weisberg. Enquanto a empresa de Weisberg, Medical Analytic Laboratories, tinha armazenado os fetos adequadamente, ele ficou sem dinheiro antes de poder eliminá-los corretamente.
A maior taxa de aborto nos EUA
Aproximadamente 37% das gravidezes em boas condições terminam em aborto em Nova York. A taxa de aborto da cidade é o dobro da média nacional.
Os dois tipos
Há dois tipos diferentes de aborto: 1) o aborto médico, onde uma mulher toma pílulas para perder o feto, e 2) o aborto cirúrgico, onde os médicos diretamente removem o feto. O tipo de aborto que uma mulher tem depende da duração da gravidez e da preferência dela.
Veja também:   Como seria se todas as árvores do mundo desaparecessem?

 

FONTE



Discussion1 Comentário

  1. O acredite ou não sempre me ajuda com os meus seminários escolares muito obrigado.E continuem fazendo o que vocês sabem fazer de melhor!!!!!!

Deixe um Comentário

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com