Pesquisa comprova que gatos não confiam em seus donos

0

Quem é dono de gatos sabe que a impressão que esses bichinhos passam é a de que não estão nem aí pra gente. Pois é… parece que é verdade!

Pesquisadores da Universidade de Lincoln, na Inglaterra, publicaram os resultados de um recente estudo sobre o comportamento dos gatos domésticos. Eles conseguiram comprovar que os gatinhos, diferentemente dos cães, não têm propensão natural a criar laços fortes com seres humanos.

Para obter essas respostas, Alice Potter e Daniel Mills utilizaram uma técnica criada em 1969 pela psicóloga Mary Ainsworth: o teste da situação estranha.

Este teste foi criado para ser aplicado em crianças e descobrir o quanto elas consideram determinados adultos como “porto seguro”, quando expostos a ambientes e situações desconhecidas.

O procedimento é bem simples e ele já foi aplicado aos cães em diversos outros estudos. Nele, criança e adulto são colocados em um ambiente onde se encenam várias situações: o responsável pode sair e deixá-la sozinha no lugar ou ele também pode ficar, mas na presença de uma terceira pessoa, que a criança não conhece. Também há uma opção extrema: sair e deixá-la com a pessoa que ela não conhece.

Se a criança for apegada ao seu responsável, acontece o óbvio: ela demonstrará mais confiança para explorar a sala na presença do adulto que é familiar, mas ficará receosa se ele estiver ausente – e se esconderá no meio das suas pernas quando o elemento desconhecido der as caras.

A versão para cães, um pouco modificada, aponta os mesmos resultados. Cachorros enxergam seus donos como porto seguro quando estão em ambiente desconhecido na companhia de pessoas desconhecidas.

Veja também:   Poluição do ar nos deixa mais burros com o passar do tempo, diz estudo

Como os gatos reagiram ao teste?

Na pesquisa de Potter e Mills, o teste foi aplicado aos nossos amigos felinos. 20 animais e seus donos foram submetidos ao procedimento.

Os resultados foram tristes para quem ama bichanos: os gatos passaram o mesmo tempo explorando a sala na presença do dono e do estranho – o que significa que eles não se sentem mais confiantes e encorajados que a média quando seus responsáveis estão por perto.

Em resumo, significa dizer que os gatos até entendem que certos humanos são mais presentes em sua vida e que existe ligação emocional. O que acontece é que, em situação de perigo, o bichano prefere se virar sozinho e não vai pedir a proteção de um humano.



Deixe um Comentário

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com