Preocupante! Incêndios na Amazônia são avistados do espaço, revela Nasa

0

Desde o começo do mês de agosto, o estado do Amazonas, no Brasil, já havia declarado estado de emergência após registrar um aumento muito inesperado de queimadas. Os meses de agosto a outubro são conhecidos como “a temporada de incêndios” na Amazônia, mas a coisa parece estar saindo do controle em 2019. Com isso, a fumaça já é tanta que está sendo avistada do espaço.

A Agência Espacial dos Estados Unidos (Nasa) divulgou, na semana passada, algumas imagens de satélite que mostram os incêndios e a fumaça em nosso país. O órgão norte-americano apontou que os incêndios estão mais altos nos estados de Amazonas e Rondônia, se comparados com a média dos últimos 15 anos.

Veja as imagens divulgadas:

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) também declarou que está é a pior temporada de incêndios desde que a agência começou a rastrear a floresta tropical, em 2013. Comparando dados com 2018, o número cresceu em impressionantes 84%.

A maioria dos incêndios na Amazônia é causada, de propósito, por fazendeiros, iniciando queimadas em massa para desmatamento com o objetivo de criar pastos para gado. Em 2019, eles chegaram a criar o ‘Dia do Fogo’, estimulando a colocada de fogo em áreas preservadas. A data foi marcada para o último dia 11 de agosto.

Veja também:   O que aconteceria se a Floresta Amazônica fosse destruída?

“O estado do Amazonas, em particular, está bem acima da média de atividade diária de incêndios em agosto até agora”, disse Mark Parrington, pesquisador que investiga emissões de incêndio florestal no ‘European Center for Medium-Range Weather Forecasts’. As árvores da Floresta Amazônica são responsáveis por produzirem 20% de todo o oxigênio encontrado na atmosfera do planeta Terra.

Segundo o cientista, os incêndios na Amazônia liberam em média de 500 a 600 toneladas de dióxido de carbono durante um ano típico. Em 2019, até agora, já geraram 200 toneladas de gases-estufa. Segundo a ‘Global Fire Emissions Database’, 8.668 queimadas foram detectadas no Amazonas apenas nesta segunda-feira (19). Isso já excede o total dos últimos anos! O número fica apenas um pouco atrás da alta de 2016: 8.836.

Imagens de satélite vieram pra confirmar, também, que o movimento da fumaça está atingindo caminhos inéditos: chegou a invadir o estado de São Paulo. Nas redes sociais, os internautas já vinham notando o fenômeno e se mostraram incrédulos de que a fumaça tivesse viajado por tantos quilômetros.

Nesta quarta-feira (21), uma forte mobilização em prol da Amazônia tomou as redes socais. No Twitter, nas últimas 24 horas, cerca de 1 milhão de mensagens foram publicadas sobre o tema. Também houve forte repercussão na imprensa internacional.



Veja também:   Pedra do Ingá: monumento guarda mistérios do Brasil antigo

Deixe um Comentário

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com