Liquidificador gigante: o relato de sobreviventes da tragédia em Brumadinho

0

As autoridades e o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais continuam com o trabalho de buscas das vítimas do rompimento da barragem do Córrego Feijão em Brumadinho, que ocorreu na última sexta-feira (25). E quem conseguiu sobreviver ao desastre faz um relato assustador do que aconteceu naquele dia. As informações são do site BBC Brasil.

Esse foi o caso da adolescente Thalyta Cristina de Oliveira Souza, de apenas 15 anos. Ela era aquela jovem que foi resgatada por um helicóptero do SUS, durante a transmissão ao vivo da TV Record que já foi parar no planeta todo. A jovem ainda se encontra internada no Hospital João XXIII, em Belo Horizonte, já que quebrou a bacia e o fêmur de uma das pernas na tragédia.

A jovem Thalyta Souza. Fonte: Arquivo Pessoal
A jovem Thalyta Souza. Fonte: Arquivo Pessoal

A jovem havia acabado de se mudar para Brumadinho para morar com a irmã mais velha, Alessandra de Souza, de 43 anos, após a mãe das duas falecer há algum tempo. Ela tinha boa relação com sua sobrinha, Lays Gabrielle, de 14 anos, que a tratava como uma irmã mais velha.

As três moravam na Pousada Nova Estância, muito conhecida no local por ser a hospedagem de famosos que iam para Brumadinho conhecer o Instituto Inhotim, um dos maiores museus a céu aberto da América Latina. Elas se preparavam para almoçar quando a barragem se rompeu.

De acordo com José Antônio, marido de Alessandra e que não estava no local no momento do acidente, a esposa relatou para ele que escutou um barulho muito alto e falou para todos correrem. Ela, Lays e Thalyta foram cada uma para um canto.

“A onda era tão grande que mandava você para um lado e para o outro. Esses são o relato delas”, disse José Antônio.

“A única imagem que a gente tem é como se você estivesse dentro de um liquidificador gigante, sendo girado de um lado para outro e sendo esmagado por pedras, paus, veículo e tudo que vinha para baixo”, complementou.

Alessandra conseguiu ir para um local mais seguro e pediu a ajuda de dois homens para salvar as duas meninas. E um deles encontrou Thalyta, resultando na agora famosa cena do seu resgate.

Já Lays, infelizmente, não teve a mesma sorte: a jovem continua desaparecida, junto de outros funcionários da pousada, funcionários da Vale e moradores do entorno da barragem. José Antônio, que também é o pai da jovem, já perdeu as esperanças de encontrá-la com vida e ainda afirmou que Thalyta costuma dizer que ela deveria ter morrido em seu lugar. Agora, apenas quer que a justiça seja feita.

“A dor é muito grande. Perdemos nossas famílias, pertences e lembranças. Nada vai trazer isso de volta”, disse.



Veja também:   Antivacina: por que algumas pessoas não acreditam na imunização

Deixe um Comentário

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com