O que é o Novichok, agente químico soviético usado em ataques recentes

0

Uma mulher britânica, chamada Dawn Sturgess, morreu no último sábado (8), vítima de um agente químico conhecido pelo nome estranho de Novichok. A arma também foi utilizada para envenenar o ex-agente secreto russo Sergei Skripal e sua filha, Yulia, no último mês de março, também no Reino Unido.

Mas afinal, o que é exatamente o Novichok? Entenda mais abaixo.

Primeiramente, é importante ressaltar que como o próprio nome deixa claro, o Novichok é um agente que usa compostos químicos para envenenar seus alvos, mas que não chegam a utilizar elementos radioativos, que também já foram usados para os mesmos fins. Um caso famoso é o do ex-espião russo Alexander Litvinenko, em 2006, envenenado por Polônio.

Os elementos radioativos possuem a chamada meia-vida, tempo que levam para reduzir pela metade a sua massa, o que pode levar de segundos a milhões de anos.

E por que citamos o termo? O motivo é que ele pode ser aplicado também para alguns agentes químicos, mas diferente dos elementos radioativos, esse decaimento é resultado de fatores externos, como ventos, chuva, luz do sol e bactérias.

O gás VX, por exemplo, diminui sua massa em 50% a cada três dias. E o mesmo poder valer para o Novichok. E seria fundamental entender a respeito de sua meia-vida por que a verdadeira toxicidade e propriedades químicas do gás ainda são um segredo guardado a sete chaves.

De qualquer forma, apesar de ser misterioso, o Novichok foi desenvolvido entre 1971 e 1993, por soviéticos e, posteriormente, russos, que alegam que ele é mais poderoso que o VX e o Soman, por exemplo. E seu funcionamento é semelhante ao de demais agentes químicos.

Esses tipos de armas afetam nosso sistema nervoso, podendo paralisar os músculos de nossa respiração e estimular a excreção de fluidos, como urina, lágrimas e suor, por exemplo, o que ele pode levar o indivíduo que entrou em contato à morte.

Os agentes químicos deste tipo são normalmente líquidos em condições normais de temperatura e pressão e possuem três tipos: não-persistente, meio-volátil e persistente. Os termos surgiram baseados no tempo que levam para evaporar e suas formas de contato com as vítimas.

O famoso gás Sarin, por exemplo, é volátil e não persistente. Isso significa que o líquido consegue evaporar rapidament e ele só pode ser absorvido por meio da respiração, ao contrário de outros, em que basta o simples contato com a pele.

Já o VX é praticamente o oposto: ele é não volátil e persistente, ou seja, como ele evapora pouco, a vítima precisa encontrar em contato com ele pela pele ou por alimentos e líquidos para ser envenenada. O Novichok funciona de forma semelhante. Por conta dessas características, ele pode permanecer em um local por dias até sumir naturalmente (por conta de sua meia vida) ou ser neutralizado pelo luz do sol, bactérias ou água.

O que atrapalha bastante na hora de detectar um agente químico é que diferente de elementos radioativos, eles são de difícil detecção, necessitando muitas vezes de análises de laboratório, o que complica qualquer processo de descontaminação.

Por isso que o governo britânico já gostou milhões de libras para limpar as áreas próximas de onde Dawn Sturgess morava. E encontrar o item que a fez se contaminar com o Novichok é a mesma coisa que encontrar uma agulha no palheiro, por conta dessas características do agene químico.

Quer conferir mais detalhes a respeitos dos agentes químicos? Basta clicar no link abaixo.

Veja também:   Qual é a ciência por trás de um agente químico?



Deixe um Comentário

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com