Pássaros estão mudando seu canto por causa do barulho do tráfego

1

Imagine duas pessoas tentando conversar durante uma festa muito agitada, com barulho por todo lado, música tocando, pessoas pedindo bebidas e conversando em um ambiente fechado. Todo esse ruído de fundo acaba interferindo na sua conversa, te forçando a falar em tom mais alto e usar frases curtas que facilitem o entendimento.

Se passar por esta situação em um fim de semana pode ser frustrante para muitas pessoas, imagine então o transtorno que seria ter que passar por isso todos os dias. É exatamente isto que acontece com as aves que vivem perto de estradas, e precisam enfrentar o barulho do tráfego intenso que existe nas grandes cidades de todo o mundo.

Em um estudo publicado pela Bioacoustics, os biólogos gravaram o canto dos pássaros em Rock Creek Park em Washington, DC. Eles descobriram que as aves, especificamente o piui-verdadeiro (contopus virens), mudaram a forma como cantavam quando o tráfego se intensificava pelas estradas próximas.

Quando tentavam cantar com o ruído do trânsito ao fundo, os pássaros passavam a usar rajadas mais curtas de canto, com menos variação nas frequências e menor largura de banda, tentando fazer com que suas vozes fossem ouvidas sobre o ruído. Mas existe um efeito colateral: ainda que os pássaros pudessem ser ouvidos mais facilmente dessa forma, os outros pareciam não prestar tanta atenção na a canção modificada – semelhante ao que acontece quando ninguém repara nos gritos de uma pessoa em uma festa por causa do excesso de barulho do ambiente.

Piui-verdadeiro (Contopus virens)
Piui-verdadeiro (Contopus virens)

Os pesquisadores da Universidade George Mason conseguiram identificar mudanças semelhantes em pardais de cor branca, perto de São Francisco, cujas músicas passaram por mudanças graduais ao longo do tempo à medida que o ruído humano aumentava. Mas em ambos os casos a mudança não é permanente, quando o barulho do ambiente diminui o volume e tom dos pássaros retorna ao padrão anterior.

O Rock Creek Park oferece um cenário interessante para os pesquisadores estudarem este interessante efeito. Nos finais de semana, das 7 horas até as 19 horas do domingo, a Beech Drive, rua de acesso principal, é fechada para permitir que ciclistas e corredores possam aproveitar o ambiente com maior tranquilidade. Por causa disso, os pássaros também são beneficiados com a diminuição do ruído de fundo.

Durante esse período, as aves retornam à sua canção habitual, algo que os autores do estudo sugerem como sendo um caminho a seguir pelos conservacionistas que buscam encontrar formas de preservar o habitat da população de aves.

“Os resultados confirmam que as medidas temporárias para reduzir o ruído do trânsito, como fechamentos de estrada durante o fim de semana, podem beneficiar animais e é uma opção viável e eficaz para gerenciar o ruído do tráfego”, diz a autora do estudo, Katherine Gentry.

Certamente não seria possível fechar permanentemente as estradas das cidades, mas o estudo indica que pausas temporárias no fluxo dos carros poderiam ajudar as aves a recuperar seu canto e se comunicar sem interferência. Um esforço pequeno, para trazer de volta a música que se perdeu no barulho da modernidade.

Veja também:   Esse agrotóxico produzido no Brasil causa diminuição do órgão sexual masculino



Discussion1 Comentário

  1. Bom dia não conheço o estudo a fundo nem consigo imaginar as implicâncias de um canto desalinhado, no entanto convivo e confirmo tal fenômeno, visto que em minha propriedade a beira de um bosque venho reparando já a algum tempo, que o canto das cigarras mudou para um som que muitas vezes é inevitavelmente confundido com uma serra circular ou makita no jugo popular, não tenho interesse em registrar ou pesquisar mas deixo aqui relato e me deixo a disposição para o assunto se for do interesse de alguém vir conferir. Sumaré -sp Vila-soma bosque frontal.

Deixe um Comentário

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com