Pessoas que jogam videogame aprendem muito mais rápido, diz estudo

0

Os neuropsicólogos da Ruhr-Universität Bochum fizeram uma competição entre os jogadores de videogame e os não jogadores em uma disputa para medir a sua capacidade de aprendizagem.

Durante o teste, os usuários de videogames apresentaram um desempenho significativamente melhor e mostraram uma maior atividade cerebral nas áreas do cérebro que são relevantes para a aprendizagem. Prof Dr Boris Suchan, Sabrina Schenk e Robert Lech relatam suas descobertas na revista Behavioral Brain Research.

A equipe de pesquisa estudou 17 voluntários que – de acordo com sua própria declaração – jogaram jogos baseados em ação no computador ou em um console por mais de 15 horas por semana. O grupo de controle consistiu de 17 voluntários que não jogaram videogames em uma base regular.

Ambas as equipes fizeram a chamada tarefa de “previsão do tempo”, um teste bem estabelecido para investigar a aprendizagem das probabilidades. Os pesquisadores registraram simultaneamente a atividade cerebral dos participantes através da ressonância magnética.

Os participantes receberam uma combinação de três cartões de identificação com diferentes símbolos. Eles devem estimar se a combinação dos cartões previa o sol ou a chuva e recebiam imediatamente um feedback se a sua escolha fosse correta ou errada.

Os voluntários gradualmente aprenderam, com base no feedback, qual combinação de cartas representa a previsão do tempo. As combinações foram, assim, associadas a probabilidades maiores ou menores para o sol e a chuva.

Depois de concluir a tarefa, os participantes do estudo preencheram um questionário para provar seus conhecimentos adquiridos sobre as combinações de cartas.

Veja também:   Foragido de assalto ao Banco Central é preso 13 anos depois

Jogadores de videogame lidam com incertezas

Os jogadores foram notavelmente melhores em combinar os cartões de sugestão com as previsões do tempo do que o grupo de controle. Eles ficaram ainda melhores com combinações de cartas com uma alta incerteza, como uma combinação que previu 60% de chuva e 40% de sol.

A análise do questionário revelou que os jogadores adquiriram mais conhecimento sobre o significado das combinações de cartões do que o grupo controle.

“Nosso estudo mostra que os jogadores são melhores em analisar uma situação rapidamente, gerar novos conhecimentos e categorizar fatos – especialmente em situações com altas incertezas”, disse a primeira autora da pesquisa, Sabrina Schenk.

Esse tipo de aprendizagem está vinculado a uma atividade aumentada no hipocampo, uma região do cérebro que desempenha um papel fundamental na aprendizagem e na memória. “Nós pensamos que jogar videogame treina certas regiões cerebrais como o hipocampo”, disse Schenk.

“Isso não é apenas importante para os jovens, mas também para pessoas mais velhas, porque as mudanças no hipocampo podem levar a uma diminuição no desempenho da memória. Talvez possamos tratar isso com os videogames no futuro”, concluiu a pesquisadora.

ScienceDaily



Deixe um Comentário

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com