Por que a água do mar não invade a terra?

0

Você, curioso de plantão, já deve ter se perguntado por qual motivo o mar não invade a terra. Não há barreiras físicas que impeçam os oceanos de chegarem até os locais que consideramos “terra firme”.

Mas a natureza é tão incrível que não precisa de um muro, por exemplo, para impedir que o mar tome conta de espaços com terra. A própria química faz esse papel.

A água encontrada no mar não é sempre a mesma, pois, como tudo no planeta Terra, encontra-se em movimento. Existem transformações constantes que permitem a existência de um equilíbrio, que deve-se, essencialmente, a transformações de estados na água.

A água é aquecida pelo sol e, assim que atinge uma determinada temperatura, entra no ciclo de evaporação, permitindo que a água deixe o mar. A ação seguinte é conseguida pelos ventos que sopram as nuvens para locais mais frios na terra. Os locais frios costumam ser as montanhas. Aí ocorre a precipitação ou chuva. A chuva, finalmente, invade a terra e chega ao mar. No mar o processo vai voltar ao início.

Ciclo da água no mar

mar-oceano-ciclo-da-agua

O processo descrito no parágrafo anterior ocorre em simultâneo, o que quer dizer que tanto chove do lado montanhoso como ocorre a evaporação do lado do mar. Por meio deste mecanismo, chamado de ciclo da água, não existe água em excesso em algum local, pois ele encontra-se em constante movimento.

  Por que a Coreia do Norte não tem nada a perder, mesmo com a ameaça dos EUA

Desta forma, o nível do mar encontra-se sempre constante, impedindo a evasão da água na areia que poderia invadir a terra com o passar do tempo.

E a água no inverno?

No inverno, por exemplo, o mar invade alguns metros ou quilômetros de terra, variando conforme o local onde uma pessoa se encontra. Nesses casos, o que costuma acontecer é um desequilíbrio entre a precipitação e a evaporação. Ou seja, vai chover mais do que evaporar, levando ao aumento da linha média do mar. Desta forma, o mar irá avançar para a terra, podendo provocar cheias, sendo algumas mais brandas e outras mais perigosas.

O cenário muda um pouco no verão, pois a quantidade de água evaporada é superior à chuva, levando a uma diminuição da linha média do mar. Esta é a principal explicação para o que ocorre durante o processo do ciclo da água.

A areia também ajuda

areia-praia

O ciclo da água não é o único a evitar as inundações que podem ser tão comuns no inverno. A enorme parede de areia que o mar também serve como obstáculo para atingir a terra. A partir de determinado local, a areia toma uma altura superior e uma espessura diferente, impedindo grande parte da passagem de água.

Mas, claro, apenas a areia não seria justificação para o impedimento da evasão do mar. Em suma, a principal explicação para a não evasão da terra pelo mar é o ciclo da água.

  Grupo de cientistas cria Asgardia, o primeiro país fora da Terra

E os tsunamis?

(Foto: Giorgio Quassi / Flickr)
(Foto: Giorgio Quassi / Flickr)

Os tsunamis ou maremotos são uma série de ondas de água causada por um deslocamento de um grande volume d’água, geralmente um oceano ou um grande lago. As causas podem ser distintas: sismos, erupções vulcânicas, deslizamentos de terra, impactos e explosões submarinas, entre outros.

Trata-se de um fenômeno que transcende o ciclo da água, por contar com uma movimentação fora do previsto. Por isso, a água pode invadir a terra em casos de tsunamis. O Oceano Pacífico, que banha países da América (com exceção do Brasil e de alguns outros), Oceania e Ásia, é o que mais tem ocorrências de tsunamis registradas até então, com cerca de 195 eventos do tipo já registrados.

Leia também:

Fonte parcial: Portal EBC



Deixe um Comentário

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com