Saiba mais sobre os Neandertais, descendentes dos seres humanos

0

Os Neandertais são os descendentes mais próximos de nós, seres humanos. Ainda existe algum debate entre estudiosos se eles eram uma espécie distante do Homo genus (Homo neanderthalensis) ou uma subespécie do Homo sapiens. Sabemos que muitos deles viveram na região da Eurasia entre 200 mil e 30 mil anos atrás, no Período Pleistoceno e começaram a se desenvolver entre 300 mil e 100 mil anos atrás.

Os Neandertais eram bem semelhantes com nós em aparência, apesar de serem menores e possuírem maças do rosto maiores, arcada supraciliar (região das sombrancelhas) bem mais proeminente e narizes maiores.

Apesar de seres designados e imaginados como seres brutos e primitivos, cientistas descobriram que eles usavam ferramentas, enterravam seus mortos e controlavam fogo, entre outros comportamentos mais inteligentes. E acredita-se que eles dividiram seu tempo na Terra com outras espécies Homo, apesar de algumas pessoas não concordarem com isso.

Descoberta

Em 1856, um grupo de pedreiros descobriu partes de um esqueleto próximo ao Vale Neander, que fica nos arredores de Dusseldorf, na Alemanha (é daí que vem o nome deles). Eles encontram 16 pedaços de ossos, incluindo um crânio. Pensando que os ossos pertenciam a um urso, eles o entregam ao professor Johan Karl Fuhlrott.

crânio de um neandertal
crânio de um neandertal

Depois, passaram para as mãos de cientistas, que logo determinaram que se tratava de um antigo parente dos humanos. A publicação e popularização das teorias de Charles Darwin, três anos depois, contribuíram ainda mais para a divulgação da descoberta. Desde então, mais de 400 ossos de Neandertais foram encontrados no Vale Neander.

  Via Láctea: como a nossa galáxia ganhou esse nome?

Os homens das cavernas originais

Os Neandertais viveram durante a chamada Era do Gelo. Eles tinham o costume de se abrigar do gelo, neve e temperaturas nada agradáveis nas cavernas da Eurasia. Como muito fósseis foram encontrados nesses locais, eles acabaram ganhando o apelido de “homens das cavernas.”

Como outros humanos, os Neandertais se originaram na África, mas emigraram para a Eurasia. Eles viviam em diversos locais, como nas Ilhas Britânicas, no Oriente Médio e até mesmo no atual Uzbequistão. Estimativas afirmam que a população chegou à casa de 70 mil Neandertais, mas cientistas acreditam que esse número era bem maior, na casa de 3,5 mil fêmeas.

Sua pequena estatura era uma adaptação evolucionária contra o frio, pois era uma forma de manter o calor do corpo. O nariz alargado também era uma forma de umidificar e aquecer o ar gelado, apesar de algumas controvérsias. Eles tinham outras características peculiares, como um peito em formato de funil, bacia alongada e dedos robustos. Acredita-se que 1% da população de Neandertais possuíam cabelo ruivo, pele clara e até mesmo sardas.

No entanto, seus cérebros cresciam em uma taxa muito menor que o de outros humanos e se tornaram maiores, de acordo com uma pesquisa publicada no jornal Science.

Estrutura social

Os Neandertais viviam em famílias bem estruturadas. A descoberta de esqueletos mais velhos e/ou deformados sugerem que eles tomaravam conta dos membros doentes ou que não podiam se virar sozinhos. Eles viviam cerca de 30 anos, apesar de muitos ultrapassarem essa marca. E conforme dito acima, é muito aceita a ideia de que eles costumavam enterrar seus parentes mortos.

  O que acontece quando uma pessoa está prestes a morrer?

Ainda não se sabe se eles tinham algum tipo de linguagem, apesar do tamanho de seus cérebros sugerirem que essa é uma possiblidade grande.

Os Neandertais utilizavam ferramentas de pedras semelhantes com as que eram utilizadas pelo primeiros seres humanos, incluindo lâminas e raspadores. Com o passar do tempo, desenvolveram ferramentas com maior complexidades, que utilizavam materiais como ossos e chifres de animais. Acredita-se que eles chegaram até mesmo a criar uma espécie de cola, que permitia a criação de lanças de caça de boa qualidade.

A ciência também afirma que eles sabiam controlar fogo e circula até  mesmo a ideia de que eles construíram barcos e navegavam pelo Mar Mediterrâneo.

Nossos ancestrais eram, primeiramente, carnívoros, só que as terríveis condições climáticas da época em que viviam fizeram muitos deles se tornarem canibais. No entanto, cientistas encontraram evidências que sugerem que os Neandertais até chegavam a cozinhar vegetais com certa regularidade.

Cruzamentos de Neandertais com os humanos

Talvez o aspecto mais debatido sobre a vida dos neandertais é se eles cruzaram com outras espécies humanas. Essa é uma pergunta ainda sem resposta, já que estudiosos acreditam que eles fizeram essse cruzamento entre espécies, enquanto que outros afirmam que dois grupos não existiram no planeta ao mesmo tempo.

Erik Trinhaus, especialista no estudo dos neandertais, é um dos pesquisadores que promovem essa hipótese do cruzamento, mas essa ideia pegou fogo após uma pesquisa, divulgada em 2010, que afirma que o DNA desses nossos ancestrais é 99,7% idêntico ao dos humanos modernos (o de um chimpanzé é 99,8% semelhante).

  25 curiosidades sobre a osteoporose

Pesquisadores do Projeto Genoma Neandertal descobriram que 2,5% do genoma não-africano  é feito com DNA Neandertal, enquanto que os descentes de africanos modernos não possuem esse DNA. É uma informação que dá mais suporte à hipótese do cruzamento, pois sugere que neandertais e outras espécies cruzaram uma vez após outros humanos deixarem a África para a Eurasia.

Outro estudo, divulgado no último mês de outubro, afirma que o genoma do humano moderno, de grupos originários de lugares diferentes da África, contém entre 1,8% e 2,6% de DNA Neandertal. “O DNA Neandertal é uma das fontes da variação de vários traços dos humanos modernos”, afirmou Michael Dannemann, principal autor dessa pesquisa.

Só que muitos se perguntam o seguinte: se realmente ocorreu esse cruzamento, por que os humanos modernos não possuem uma porcentagem maior de DNA Neandertal? Uma possível razão envolve o cromossomo do sexo masculino.

Cientistas descobriram que o cromossomo Y do Neandertal pode ter mantido duas linhas para cruzamentos entre espécies bem sucedidos: o cromossomo pode ter criado condições que causavam abortos com frequência; ou segundo uma pesquisa divulgada em abril de 2016, três mutações do cromossomo Y do Neandertal podem ter desencadeado respostas imunes de fêmeas humanas modernas e que tinham ligação com abortos.

Já com relação a quem acredita que eles não viveram juntos dos humanos modernos, um estudo de 2012 reexaminou ossos encontrados no sul da Espanha. Os pesquisadores descobriram que eles tinham 50 mil anos de idade. Só que os humanos modernos só se estabeleceram no local há 42 mil anos, o que significa que é improvável que tenham se relacionado e cruzado, pelo menos nesse local.

  Saiba qual é a melhor maneira de pedir desculpas, de acordo com a Ciência

Extinção

Ninguém ainda sabe explicar como que os Neandertais foram extintos e por que o  Homo sapiens sobreviveu. Alguns estudiosos já lançaram teorias de que uma gradual ou dramática mudança climática causou a extinção da espécie, enquanto que outros culpam deficiências alimentares.

Há quem diga que os humanos modernos podem ter matado os Neandertais. E por fim, também existe a hipótese de que nossos antigos ancentrais não desaparecem, mas apenas cruzaram com nossa espécie até serem absorvidos.

Fonte: Live Science

Deixe um Comentário

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com