Sonda Juno, da Nasa, chega a Júpiter após quase cinco anos de viagem

0

A sonda Juno, da Nasa, chegou, na madrugada desta terça-feira (5), ao planeta Júpiter. É a segunda vez que um artefato do tipo entra na órbita do maior planeta do Sistema Solar – a primeira foi Galileo, em 1995.

A viagem da Juno até Júpiter durou quase cinco anos. Ela é movida por energia solar.

Segundo a Nasa, Juno desacelerou para uma velocidade de 542 m/s (cerca de 1.951 km/h) no intuito de ser capturada pela órbita do planeta. A sonda dará 37 voltas ao redor do planeta num período estimado em 20 meses, percorrendo cerca de 5 mil km.

“Queremos novas respostas para mistérios em curso relacionados ao núcleo do planeta, composição e campos magnéticos”, disse a Nasa, em comunicado.

Objetivos

jupiter

Juno tem o intuito de estudar as profundezas jovianas. A um custo de mais de US$ 1 bilhão, a sonda pretende desvendar o que há no interior do gasoso planeta – por exemplo, se existe um núcleo sólido.

Para isso, a sonda utilizará sensores de infravermelho e ultravioleta, além de medidores de gravidade e radiação. Uma das medições que Juno tentará fazer está relacionada à quantidade de água presente em Júpiter.

As informações coletadas por Juno podem dar pistas sobre o local em que Júpiter se formou no Sistema Solar e se o deslocamento foi muito considerável desde então. Além disso, espera-se obter respostas com relação à formação padrão de planetas.

O que se sabe sobre Júpiter

Júpiter, ao lado da Lua, em visão a olho nu (Foto: Wikimedia)
Júpiter, ao lado da Lua, em visão a olho nu (Foto: Wikimedia)

Maior planeta do Sistema Solar, Júpiter é o quinto mais próximo do Sol e é basicamente composto por gás, como Saturno, Urano e Netuno – os planetas jovianos.

Veja também:   Como seria uma guerra nuclear atual entre Estados Unidos e Rússia?

O gigante planeta é formado por hidrogênio e hélio, tem uma rotação rápida (cerca de 10h) e é visível a olho nu. Depois do Sol, da Lua e de Vênus, é o quarto objeto mais brilhante no céu, para a visão humana.

Imagina-se que Júpiter tenha 67 satélites (luas). Uma delas, Europa, possivelmente tem um oceano líquido.

Fonte parcial: Agência Brasil



Deixe um Comentário

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com