5 fatos que você precisa conhecer sobre o vício em pornografia

1

Milhões de pessoas consomem ou já consumiram algum tipo de conteúdo pornográfico. E, apesar de incomum, o vício em pornografia existe.

Muitas pessoas passam do consumo saudável de pornografia para o consumo obsessivo sem perceberem. Quando dão por si, já estão viciadas.

Nas lista a seguir você saberá 5 fatos sobre o vício em pornografia:

5. Muitos famosos são viciados em pornografia

Ator Terry Crews
O ator Terry Crews

Embora esse tema seja tabu para muitos, alguns artistas, como o ator Terry Crews, revelaram publicamente o vício em pornografia. Crews, em especial, chegou a postar uma série de vídeos em suas redes sociais detalhando sua luta contra essa obsessão.

Terry Crews não é o primeiro: famosos como John Mayer e Kanye West também declararam vício em pornografia. Com o pressuposto de que estes artistas não devem ter problemas em arrumar uma parceira sexual, a imagem estereotipada de que um viciado em pornô é uma pessoa mais reclusa é facilmente descartada.

4. Vício em pornografia é um grande problema entre adolescentes

jovem-vício-pornografia

Com o atual avanço tecnológico, o consumo de pornografia tem crescido absurdamente entre os jovens. Isso pode ser um problema para quem tem uma tendência a se tornar obcecado por produtos do tipo.

Nem sempre foi tão fácil ter acesso a esse tipo de conteúdo. Tempos atrás, era bem mais fácil para os pais monitorarem o que seus filhos viam na internet. Porem, agora, com conexão WiFi em todos os cômodos da casa, adolescentes têm acesso à pornografia em uma idade muito mais antecipada do que o convencional.

  Nasa lança sonda que atravessará atmosfera do Sol em 2018

Esta exposição é uma questão séria, como também pode trazer uma falsa imagem de sexualidade. Para os adolescentes cuja única compreensão do assunto é o que eles veem online, a construção de relacionamentos e até mesmo o desempenho pode ser prejudicado após terem contato com o sexo real pela primeira vez.

3. Vício em pornografia é um pequeno deslocamento do vício em sexo

vício-sexo

Por vezes referido como hipersexualidade ou distúrbio hipersexual, o vício em sexo é a necessidade compulsiva de manter relações sexuais.

Como a masturbação e o sexo liberam os mesmos produtos químicos de prazer no cérebro, muitas pessoas fazem essa correlação entre os dois. No entanto, há diferenças: enquanto o vício em sexo exige uma predileção com a relação sexual, o vício em pornografia implica apenas a necessidade de ver o material explícito.

Em outras palavras, muitos viciados em sexo consomem pornografia em excesso, mas viciados em pornografia, muitas vezes, não anseiam tanto o sexo em si.

2. Vício em pornografia não está no Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais

viciados-pornografia

O Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais foi criado para ajudar os médicos a classificarem e a tratarem transtornos mentais. A versão mais recente que foi publicada em 2013, não inclui o Vício em Pornografia, devido ao conflito entre pesquisas e opiniões acerca de sua natureza viciante.

O problema é que o Manual é utilizado não só por profissionais médicos, mas também por companhias de seguros e pelo sistema legal. Para alguém que tem um transtorno de personalidade ou mesmo um problema de abuso de substâncias, os médicos podem usar o Manual para estabelecer tratamentos adequados. Empregadores são capazes de licenciar essas pessoas para que eles se recuperem. Companhias de seguro também pagam estes tratamentos.

  Impressionante ilusão transforma quadrados em círculos no espelho

Para as pessoas que afirmam ser viciadas em pornografia, as opções de tratamento são muito menos acessíveis do que as de outros problemas. Há uma marginalização desse desvio de comportamento.

1. Para viciados, pornografia é melhor do que sexo

Cena do filme Don Jon (2013)
Cena do filme Don Jon (2013)

Várias pessoas que afirmam ser viciadas em pornografia preferem assistir a vídeos do tipo e do que ter relações sexuais. As fantasias que o mundo pornô traz não são as mesmas que o sexo na vida real concede.

De acordo com um recente estudo, homens que assistem pornografia pelo menos uma vez por semana têm um desejo maior por parceiras que falam termos obscenos, que gostam de serem dominadas, que usam brinquedos sexuais e que são abertas ao sexo a trés, características comuns encontradas em mulheres apresentadas em vídeos pornográficos. Essas definições existem na vida real, mas o número desse tipo de comportamento é muito menor.

Isso pode afetar diretamente um relacionamento, pois algumas pessoas tendem a evitar pessoas viciadas em pornografia logo que descobrem esse lado obsessivo. É a mesma espiral negativa que sofrem muitos outros viciados, como os em substâncias químicas. A situação também provoca o distanciamento de pessoas que gostariam de ajudá-las.



Discussão1 Comentário

Deixe um Comentário

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com