Como Eram os Voos em 1930

0

Você já voou de avião? Provavelmente a resposta é sim, pois atualmente essa é uma pratica bem comum, e é algo que facilita muito a vida das pessoas, seja para viagens em família ou viagens de trabalho. Mas deixa eu adivinhar, você com certeza deve ter alguma reclamação, talvez por conta de atraso, alguma poltrona apertada ou até mesmo da comida que eles servem la dentro, certo? Pois saiba que comparado aos voos antigos de 1930, os voos de hoje são coisas de outro mundo. Os voos antigos fazem uma viagem num trem lotado, algo confortável.

Acredite ou não: Como eram os voos em 1930

Os tripulantes usavam megafones para serem ouvidos 

Sim, isso mesmo, nos voos antigos, dentro da aeronave o barulho era um dos grandes problemas durante as viagens. O som era tão alto que para se comunicar com os passageiros, a tripulação, muitas vezes, tinha que recorrer a pequenos megafones. Enquanto um jato militar emite um som que chega a 140 decibéis durante a decolagem, um avião da época chegava a 120 decibéis.

Passagem custava a metade do valor de um carro

Se você reclama dos valores de uma passagem hoje em dia, saiba que naquela época o valor era bem mais salgado. Um bilhete de ida e volta de costa a costa dos EUA custava cerca de 260 dólares em 1930. Barato? Bem, o preço de um automóvel popular da época era apenas o dobro do valor. Sem falar que apenas os ricos tinham condições de pagarem.

  Veja como um homem falsificou uma das maiores descobertas arqueológicas da história


Em uma única viagem, 22 paradas

Se você acha que os voos com escala são horríveis, agradeça, pois nos voos antigos era cerca de 4 a 8 vezes piores que isso. Agora, se você reclama das conexões, seria impossível viajar entre Londres e Brisbane (Austrália). A rota era a mais longa disponível em 1938 e levava oito dias. Além disso, o avião parava nada menos que 22 vezes para ser reabastecido. Mesmo com esses 8 dias, ainda era bem mais rápido do que uma viagem de barco por exemplo.

Uso de tanques de oxigênio era comum

Você provavelmente já deve ter ouvido ou visto um dos maiores clichês nos aviões: “Em caso de emergia, mascaras cairão sobre suas cabeças e bla, bla, bla”. Naquela época, tudo era mais hardcore, pois a adoção generalizada de pressurização em cabine não tinha chegado à indústria de aviação até 1940. Isso significa que os uso de cilindros de oxigênio eram comum nos voos da época.

Não havia sinal para apertar o cinto em áreas de turbulência

Os aviões antigos também eram conhecidos por estarem sujeitos a grandes oscilações de altura em intervalos muito pequenos de tempo. Em muitos voos, a aeronave podia “descer” centenas de pés sem emitir nenhum aviso para que os passageiros voltassem aos assentos e apertassem os cintos. A sensação era tão ruim, que os bancos vinham equipados com tigelas para serem usadas caso o passageiro ficasse enjoado.

  Quem Inventou o Futebol?

Aeroporto do Cairo era o ponto de convergência

Na época, a cidade do Cairo (Egito) era o “ponto de encontro” da maioria dos voos. Por estar entre a Europa, África e Ásia, dificilmente um voo não passava por lá. Naquela época a cidade ficou bastante em destaque e ganhou muitos visitantes.
Avisos pediam para evitar o uso do banheiro
Imagina so, você sente vontade de ir no banheiro, mas so pode ir se for o ultimo dos casos e você realmente não puder esperar. Aviões da British Airways foram equipados com três lavatórios, mas avisos indicavam que deveriam ser utilizados somente em último caso. Com certeza deveria ser mais vergonhoso ir naquela época do que agora.

Atores eram proibidos de voar

Em janeiro de 1930, aconteceu um dos maiores desastres da aviação na América até o momento. Várias pessoas morreram após um avião que voltava do México ter caído na Califórnia. Com a segurança abalada, muitas pessoas não confiavam no novo meio de transporte. Em diversas ocasiões, os estúdios de cinema criavam contratos proibindo os astros de voarem, principalmente durante as filmagens.

E ai, ainda vai continuar reclamando quando seu voo atrasar uma horinha? Se curtiram esse texto, ajude o site, compartilhando nas suas redes sociais.

Deixe um Comentário