Como o Furacão Irma se tornou tão poderoso?

0

No último dia 5 de setembro, o Furacão Irma chegou à classificação de Categoria 5 (a mais forte para medição de furacões), com ventos que chegaram a marca de 295 km/h. Tal fato coloca o fenômeno em rara companhia.

Apenas outros quatro furacões, originários do Oceano Atlântico, conseguiram alcançar velocidade iguais ou maiores que o Irma, segundo Phil Klotzbach, meteorologista da Universidade do Estado do Colorado, nos EUA. Os únicos a se equipararem com o Irma são o Wilma, de 2005, o Gilbert, de 1988, e um furacão sem nome, registrado em 1935. E o campeão nesse quesito foi o Allen, de 1980, que chegou a marca de 306 km/h. Essa tempestade se encerrou no norte do México, mas também impactou o Haiti e o sul do estado do Texas. Quase 300 pessoas morreram por conta do fenômeno.

E o que o Irma e o Allen possuem em comum? Ambos se originaram em Cabo Verde, na costa ocidental da África. Os furacões que surgem nessa área se iniciam como depressões tropicais, há 965 quilômetros de distância do país, e eventualmente se transformam em furacões pouco antes de chegar ao Caribe. Em média, dois furacões surgem nas proximidades da pequena nação africana por ano, segundo o Centro Nacional de Furacões dos EUA, e costumam se formam nos meses de agosto e setembro.

Tempo e Água Quente

Não são todos os Furacões que se formam nas proximidades de Cabo Verde, disse o meteorologista Neal Dorst. Os furacões surgem devido à água quente, que rapidamente evapora para “abastecê-los”.

  5 fatos perturbadores sobre os alimentos processados

No ápice da temporada, que ocorre no final de agosto e início de setembro, a água do oceano está tão quente que é capaz de gerar furacões de Categoria 5, e eles podem se formar em qualquer lugar da parte tropical do Oceano Atlântico.

Por exemplo, o Furacão Camille era apenas uma depressão tropical quando passou por Cuba em 14 de agosto de 1969. Mas as águas quentes do Golfo do México fizeram com que Camille se tornasse um furacão de Categoria 5 quando chegou ao estado do Mississippi, em 18 de agosto.

Só que as tempestades que começam em Cabo Verde possuem um potencial especial para se tornarem poderosos furacões. O motivo é que seu ponto de origem, que fica bem ao leste, dá mais tempo para o fenômeno se reforçar até chegar ao continente, disse Dorst.

“Eles tem todo o tempo, quase uma semana, para se organizar e se tornarem mais fortes, é por isso que eles são tão terríveis”, explicou Dorst.

Como o Furacão Irma se formou

Uma tempestade como o Irma começa como um mero distúrbio na costa oeste da África. 60 ocorrências são registradas a cada ano, e a maior parte delas logo se dissipa. Mas quando as condições estão favoráveis, como muita umidade atmosférica, calor dos oceanos, céu limpo e correntes de vento que não são capazes de alterar a rotação de um furacão, esses distúrbios podem se tornar depressões tropicais, que são definidas a partir de ventos com 40 km/h. Quando a velocidade chega a 63 km/h, a depressão se transforma em tempestade tropical. E ao atingir 119 km/h, enfim, se torna um furacão.

  A próxima geração de robôs provavelmente não vai querer nos matar, dizem especialistas

O Furacão Irma criou sua rota no Atlântico a partir de uma cadeia de alta pressão que vem do norte, que além de fazê-lo se movimentar do leste para o oeste, também ajuda a ventilar a tempestade, disse Dorst.

O furacão já causou grandes estragos nas Ilhas Virgens Americanas, Cuba, Porto Rico, Barbados e Antígua e Barbuda, além de outros países caribenhos. O furacão chegou até o estado da Flórida, nos EUA, mas ele foi rebaixado para a Categoria 1 nesta segunda-feira (11). Ele deve perder ainda mais força, conforme for avançando por todo o território da Flórida.

Fonte: LiveScience

Deixe um Comentário

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com