Afinal, o que é um multiverso? Será que isso realmente existe? Entenda

0

A humanidade ainda está longe de compreender os segredos do universo e tudo fica ainda mais complicado se houver um multiverso.

Basicamente, se tudo o que conhecemos for apenas parte de algo ainda maior e mais complexo, muitas de nossas perguntas estariam automaticamente respondidas, mas por outro lado, o número de questões sem resposta também aumentaria.

A questão do multiverso é abordada por diversas áreas, indo da física quântica até a filosofia e por mais que haja bastante material sobre o assunto, a verdade é que essa é uma área do conhecimento ainda bem nebulosa.

O pouco que sabemos está limitado ao que conseguimos observar com nossos equipamentos, e com base nisso, podemos afirmar que há um universo e que ele está se expandindo.

a guerra do amanhã

O problema fica por conta da porção que não conseguimos detectar. Outras teorias falam de algo infinito, ou até mesmo de um universo hiperesférico, onde voltaríamos ao início de tudo, mas o multiverso ajudaria a esclarecer uma série de questões que permanecem sem resposta.

Muitas delas são relacionadas aos buracos negros, objetos que ainda não entendemos totalmente.

Basicamente, há teorias que dizem que buracos negros seriam portais para outros universos, que são interligados, formando o multiverso. O problema é que ninguém conseguiu ir para além de um buraco negro e dizer o que tem do outro lado – se é que tem alguma coisa.

Multiverso: ciclo sem fim

Outra teoria que anda em conjunto com a questão do multiverso é a de que o nosso universo estaria em um eterno ciclo de expansão e contração, e que assim como ele, outros universos fazem o mesmo movimento.

Isso faria com que existisse um multiverso dinâmico, que estaria sempre em movimento, se alterando, o que corrobora com outras teorias.

Há ainda questões como a energia e a matéria escuras, substâncias que ninguém entende ainda exatamente como e por que existem, nem o que são.

É possível que sejam porções de universos paralelos, indetectáveis com instrumentos que obedecem às leis da física do nosso universo. A partir daqui, a questão se torna mais filosófica do que tecnológica em si.



Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com