10 tipos de sacrifícios humanos realizados por Astecas

0

Sempre soubemos que diversos povos de diferentes culturas antigas realizavam sacrifícios. E, infelizmente, o sacrifício humano foi muito utilizado no culto à adoração aos deuses. Os Astecas realizaram vários sacrifícios humanos diferentes, desde pessoas conquistadas em batalhas, até pessoas que se voluntariavam. E o sacrifício ainda era feito com crianças.

Confira essa lista incrível sobre os sacrifícios Astecas abaixo

 

10. Fizeram guerras apenas para terem sacrifícios humanos

as-guerras astecas

A obrigação perfeita dos astecas era preencher a fome voraz de seus seres divinos através da desistência humana. Na maioria das vezes, os astecas utilizavam adversários que haviam esmagado na guerra como oferendas. Seja como for, houve apenas uma tal variedade de guerras a serem combatidas e apenas um número tão grande de inimigos para pegar. Eles exigiram mais vítimas. Os astecas fizeram um acordo para utilizar a cidade-condição vizinha de Tlaxcala como uma herdade para as pessoas. As duas forças armadas resolveram lutas organizadas apenas para pegar detidos para sacrifícios humanos. Era um entendimento comum por ambos os lados. A força armada perdida não chorava nem reclamava do seu destino. Compreendiam que essa era a parte que lhes pertencia e que se permitiriam dirigir-se às suas passagens.

9. Algumas pessoas se voluntariavam

o-voluntario

Para quele que se considerava corajoso, transformar-se em um sacrifício humano para os deuses era uma honra. Na verdade, quando os espanhóis vieram e tentaram libertar detentos aztecas, alguns ficaram furiosos por terem sido saqueados do respeito de uma morte genuína. Não eram apenas combatentes inimigos que acabavam sob uma lâmina formal, no entanto. Os trapaceiros e indivíduos endividados também foram enviados ao lugar sagrado com desrespeito. Outros se juntaram ansiosamente, precisando do respeito de morder a poeira para seus seres divinos. Por costume, encontros inteiros de prostitutas prontamente se juntaram para serem oferecidas à deusa do amor. Durante uma estação seca, alguns astecas se voltaram para oferecer seus filhos em subjugação por 400 espigas de milho. Com a chance de que os jovens não funcionassem admiravelmente, eles poderiam ser vendidos mais uma vez. Além disso, se um escravo foi vendido duas vezes, eles poderiam se transformar em uma bênção para os seres divinos.

  5 criações inusitadas de grandes inventores

8. O Festival de Toxatl

festival

Em meio ao mês de Toxcatl, um homem foi decidido por um respeito incomum em vista de sua aparência. Ele precisava de pele lisa e fina e cabelos longos e lisos. Até o ano seguinte, este homem seria tratado como um deus. Ele seria enfeitado como o deus Tezcatlipoca. Sua pele seria pintada de preto, e ele usaria uma coroa de flores, um peitoral de concha e montes de jóias. O homem receberia quatro cônjuges deliciosos para fazer o que quisesse com eles. Ele só foi solicitado que passear pela cidade tocando um sopro e com um colar de flores para que a população em geral pudessem respeitá-lo. Quando 12 meses se passaram, ele passeava pelas escadas de uma pirâmide incrível, quebrando suas flautas enquanto ia para o topo . Como um grupo amoroso visto, um clérigo iria ajudá-lo a descansar em um longo lugar sagrado feito de pedra. Nesse ponto, eles arrancariam seu coração de seu corpo. Depois, eles escolheriam outro Tezcatlipoca e começariam desde o início mais uma vez.

7. O Ritual do Sacrifício

ritual-de-sacrificio

Normalmente, nos sacrifícios Astecas, as vítimas eram levadas até o topo de uma grande pirâmide, onde seria usada para o sacrifício aos deuses. A vítima seria deitada sobre uma pedra e um padre estaria de pé sobre ele, com uma faca com lâmina de vidro vulcânico. Aquela faca deveria cair sobre o coração da vítima e quebrar, então, seu coração deveria ser arrancado ainda batendo. O padre levantaria esse coração para todos os adoradores que estavam olhando, e começaria a cortar em pedaços até que caíssem sobre a pedra. O corpo seria jogado escada a baixo da pirâmide e, lá embaixo, açougueiros esperavam ele para desmembrar. A carne seria cozinhada e a cabeça colocada sobre estacas, assim como as cabeças de outros sacrifícios.

  10 misteriosos textos ocultos que foram encontrados

6. Festejar a carne humana

carne-humana

Os corpos dos sacrificados eram, na maioria das vezes, cozinhados com milho e compartilhados entre os sacerdotes em uma grande festa. Poderiam ocorrer casos em que havia carne suficiente para ser preparada para toda a cidade. Cada pessoa participaria de um ato canibalista compartilhado para os deuses. Na época, os Astecas utilizavam a carne da coxa de um detento para preparar uma sopa para o Imperador. Hoje, a carne utilizada é a de porco, mas, dizem que o sabor é bastante semelhante.

5. A inauguração da Grande Pirâmide

piramide

Nem todos os sacrifícios feitos pelos Astecas eram da mesma maneira. Em alguns eventos especiais, eles eram feitos de maneiras diferentes. Tanto o método do sacrifício poderia ser diferente como a quantidade também.  O maior sacrifício feito foi durante a construção da Grande Pirâmide de Tenochtitlan. Durante a construção, os Astecas realizaram um número absurdo de sacrifícios. Eles alegaram que mataram cerca de 84.000 pessoas em um período de apenas quatro dias. Durante o reinado dos Astecas no México, cerca de 250.000 pessoas foram mortas em sacrifício no período de um ano aproximadamente.

4. O Festival do Desgastar dos Homens

festival-homem-pena

O festival chamado de “Tlacaxipehualiztli” (O Festival de Escamação dos Homens) era considerado como um dos mais perturbadores já feito pelos Astecas. Essa cerimônia era realizada em culto ao deus Asteca Xipe Totec, cujo nome significa “O Esfolado”. Quarenta dias antes da cerimônia, um homem era vestido como O Esfolado. Ele foi todo revestido em plumas vermelhas e brilhantes gemas e queimado durante 40 dias considerado como um ser divino. Nesse ponto, quando da chegada da celebração, ele e oito imitadores diferentes de seres divinos foram levados ao ponto mais alto dos santuários e mortos. Os ministros limpavam as coleções dos homens abandonados em uma personificação de uma planta derramando sua casca. A pele foi então colorida amarelo para brilhar como ouro. Algumas peles foram dadas aos ministros. Diferentes peles foram dadas aos jovens, que passaram os 20 dias seguintes implorando enquanto estavam pendurados em uma camada livre de tecido humano.

  10 enigmas bizarros da antiga Malta

3. Sacrifício através do Combate Gladiatorial

gladiador

Em meio ao Festival do Esfolamento dos Homens, alguns homens puderam se proteger. Para viver, no entanto, eles precisavam esmagar os melhores campeões astecas em batalha equipada – e as chances não eram mesmo. Os guerreiros conciliadores foram conduzidos em uma pedra redonda chamada um temalacatl. Eles foram autorizados a serem equipados com armas de madeira, que eram um pouco maiores do que brinquedos. Segurando uma vara ainda nova no estado de uma vanguarda, esses homens podiam ver os melhores campeões aztecas saindo, equipados com todo tipo de armamento.

2. A morte dos Gêmeos

gemeos

Os astecas tinham convicções estranhas e conflituosas sobre gêmeos. Seus mitos estavam cheios de gêmeos, geralmente considerados como reverenciados deuses merecedores do amor do homem. Os gêmeos apareceram em suas histórias como assassinos de bestas, lendas e até mesmo os criadores do mundo. Os gêmeos reais, no entanto, foram tratados com um completo desprezo. Eles tinham um deus, Xolotl, tanto para jovens deformados quanto para gêmeos, à luz do fato de que os astecas consideravam os gêmeos como um a criança totalmente desfigurada

1. Sacrifício de crianças

criancas

No coração da capital asteca, Tenochtitlan, havia santuários gêmeos. No ápice daquele dedicado a Tlaloc, os astecas realizavam o mais horrível e mais triste costume de todos eles. Tlaloc era o senhor da chuva e do relâmpago – e pedia crianças. Durante o mês de fim de inverno chamado Atlcahualo, os astecas levavam crianças para o santuário de Tlaloc e os forçavam a subir os degraus. As crianças não eram voluntários dispostos, e eles soluçavam e choravam enquanto subiam. Com a possibilidade de que os jovens chorassem, os astecas confiavam em que Tlaloc os favorecesse com a chuva. Então, se as crianças não soluçassem sozinhas, os adultos as fariam. Quando terminou, as crianças foram levadas para um lugar fora da cidade. Eles foram colocados ao redor sob um telhado aberto. Lá, sob o exterior, a chuva era recebida pelo seu sacrifício, caindo sobre os corpos das crianças mortas.

  Os 8 banimentos mais polêmicos do Twitter

 

FONTE



Deixe um Comentário

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com