Historiadores explicam como era a aparência verdadeira de Jesus Cristo

0

A figura de Jesus Cristo certamente é uma das mais conhecidas do mundo, mas muito provavelmente não é nada exata. Os historiadores falam de uma face bem diferente da clássica imagem do homem branco, de cabelos longos, barba e olhos claros.

Veja também:   Quais são as evidências históricas de que Jesus Cristo viveu e morreu?

Segundo os especialistas em história e ciência forense, a real aparência de Jesus era bem diferente do que o imaginário popular se acostumou a ver. Assim como os judeus daquela época, provavelmente ele devia ser baixo em estatura, de pele morena e cabelos curtos.

Em 2001, o britânico Richard Neave, especialista forense em reconstruções faciais tentou reimaginar a face de Jesus com base em 3 crânios encontrados na região onde ele viveu, na antiga Judeia, atual Israel, na mesma época, meados do século I. O resultado é bem próximo do que os acadêmicos sugeriram. Veja:

jc1

O designer gráfico e também especialista forense brasileiro Cícero Moraes partiu do mesmo princípio e elaborou um possível “retrato falado” do líder judeu. Ele, assim como a historiadora neozelandesa Joan E. Taylor, acredita que a face dos habitantes daquela época era similar a dos beduínos modernos e moradores das regiões desérticas do Iraque. Confira a arte conceitual de Moraes:

jc2

Vale lembrar que na Bíblia e nos evangelhos, não existe nenhuma descrição de características físicas do personagem histórico. “Nos evangelhos ele não é descrito fisicamente. Nem se era alto ou baixo, bem-apessoado ou forte. A única coisa que se diz é sua idade aproximada, cerca de 30 anos”, comenta Taylor.

Divino e europeu

Os especialistas acreditam que a imagem comum de Jesus Cristo que temos hoje no ocidente passou a existir por dois motivos: tornar divina a figura histórica e identificá-lo com os fiéis. As imagens de um Jesus com aparência europeia é baseada nos reis e líderes medievais, época em que essa iconografia surgiu. O objetivo era torná-lo divino, inatingível, assim como os monarcas se consideravam.

Além disso, era mais fácil fazer com que os fiéis se identificassem com a divindade se ela fosse fisicamente similar às pessoas que eles viam e conviviam. Nas igrejas cristãs mais orientais, por exemplo, Jesus é representado com traços mais próximos do povo daquela região.

Existem representações extremamente antigas, vindas do próprio oriente médio, onde ele aparece com a pele mais escura e cabelo curto, forma mais próxima da aparência de um habitante local da época e das reconstituições científicas.



Deixe um Comentário

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com