O que aconteceria se um planeta colidisse com a Terra?

3

É fato que corpos celestes de diferentes tamanhos estão se chocando no sistema solar. Desde o início do nosso sistema solar (cerca de 4,5 bilhões de anos ou mais) até hoje, não houve uma grande quantidade de colisões planetárias, mas ainda existem muitas colisões “menores”, como o asteróide de Chicxulub, há 65 milhões de anos atrás, que extinguiu os dinossauros e quase toda a vida na Terra (65 milhões de anos é praticamente alguns poucos segundos em comparação com a idade do sistema solar), ou o cometa Shoemaker Levy 9, que colidiu com Júpiter em 1994 e foi a primeira grande colisão observável.

Jupiter no momento da colisão com o cometa Shoemaker.
Júpiter no momento da colisão com o cometa Shoemaker. Cada uma dessas nuvens negras é causada pelo impacto de um pequeno pedaço diferente do cometa, e cada um é maior que a Terra.

Assim, enquanto planetas colidem ou quase colidem uns com os outros, essa não é mais uma preocupação séria atualmente, como era antigamente. O fato da preocupação ser mínima se deve ao tamanho dos sistemas solares e da falta de vida que há nele.

Por conta deste artigo, vamos supor que há um outro planeta chamado “Htrae”, que é do mesmo tamanho e composição aproximada da terra (e vamos aida imaginar que ele tem os clones de todos os habitantes da terra, pra ficar mais legal).

Mas o que poderíamos esperar de um impacto direto, ou mesmo um impacto de raspão? Mais ou menos isso: você começa com dois planetas e termina com muita poeira quente. Estamos acostumados a impactos que somente danificam ou perfuram a crosta terrestre, mas grandes impactos são outra história. É como comparar planetas a gotas de água. Ao invés de se esmagarem como pedaços de argila, a Terra e Htrae iriam se desintegrar. O impacto direto de duas massas iguais e gigantescas tende a destruir as duas. A colisão não direta (de raspão), iria chacolhar os dois planetas, destruindo completamente toda a superfície dos dois. Um impacto de raspãp como esse é a teoria moderna mais aceita para a origem da lua.

Veja também:   Mancha vermelha em Júpiter é um furacão gigantesco do tamanho da Terra

Se Htrae caísse do céu, ele provavelmente iria atingir a Terra com uma velocidade que está na mesma escala que a velocidade da Terra no espaço: 11 km/s (provavelmente mais). O intervalo entre o momento que HTrae aparecesse no céu com o mesmo tamanho da lua, até a colisão seria de poucas semanas. Já o intervalo entre o momento em que HTrae encostasse na atmosfera e atingisse a superfície seria de poucos segundos. Se você estivesse próximo, veria Htrae preenchendo completamente o horizonte. Alguns momentos antes do impacto, a atmosfera de ambos os planetas brilharia com uma luz forte no nomento em que ambas são subitamente comprimidas. É mais provável que nesses segundos/momentos finais você fosse completamente vaporizado a distância pelo calor e luz liberado pelo impacto, e menos provável que você fosse esmagado. As pessoas do outro lado da Terra não estariam numa melhor, não! Eles seriam pegos de surpresa e teriam que lidar com o solo, e tudo sobre ele, de repente, como se estivessem levando um pontapé gigante o suficiente para jogar tudo e todos no espaço sideral. Imagine você dormindo com sua família numa noite tranquila e, de repente, um impacto te joga fora da órbita da Terra. Sim, você acordaria (ou não) no vácuo do espaço.

Não preciso citar que, de um modo geral, ser golpeado pelo chão com tanta força a ponto de te jogar no espaço profundo, poucos minutos depois do impacto, é morte certa, né?

O impacto de raspão é menos catastrófico, mas você também não vai querer estar ali. Quando você está entre duas massas iguais, você sofrerá a gravidade dos dois corpos, relativamente ao ponto em que você se encontra. Então se você tiver “sorte” o suficiente para estar de pé na superfície de Htrae quando ele passasse pela Terra, você iria estar em quase gravidade zero. De qualquer maneira, tudo ao redor estaria com a gravidade alterada e tudo e todos, iriam ser lançados para o céu.

Veja também:   6174 e 495: o misterioso caso que intriga matemáticos há décadas
Num impacto lateral de "raspão", qual seria a gravidade entre os dois planetas?
Num impacto lateral de “raspão”, qual seria a gravidade entre os dois planetas?

Imagine casas, carros, prédios, rochas e você no meio do ar, caindo para cima. Sim! Para cima! Com a gravidade louca a superfcie seria devastada. Em grande escala isso desmoronaria ambos os planetas. Não seria apenas uma região do planeta que estaria em queda livre, e sim países e continenetes dos dois planetas. Então, do mesmo modo que você estivesse “caindo” para o alto, você iria de encontro com outros objetos que estariam caindo de HTrae. Pode parecer incrível, mas você iria querer uma distância bem grande.

Mesmo uma passagem próxima, com os planetas nunca entrando em contato, haverá uma quantidade colossal de danos. haveria uma nuvem de detritos entre os planetas e orbitando em torno deles, assim como longas labaredas de lava e fogo nos oceanos, crosta e manto, que agora se separam abrindo fendas gigantes. Isso nunca foi visto em escala planetária. Objetos que impactam mal possuem sua própria gravidade.

Veja o teaser da matéria:

Mas as coisas só pioram. A menos que ambos os planetas tênham uma boa razão para se cruzarem distantes, este quase impacto só seria um preâmbulo para um impacto direto. Todos os danos que a Terra e Htrae causaram um ao outro ganhou energia. Essa energia, nada mais é do que a energia cinética, ou seja, depois de se cruzarem, ambos os planetas perderiam sua velocidade média. Isso significa que a velocidade de ambos os planetas seria reduzida enquanto eles se orbitasse e isso significa que os planetas não poderiam escapar um do outro (pelo menos não para sempre) e o impacto seria uma questão de “quando”.

Veja também:   O que aconteceria se a Floresta Amazônica fosse destruída?



Discussion3 Comentários

  1. Com o sistema solar invasor se aproximando, corremos grande risco de isso ocorrer, e o planeta Vênus esta se aproximando da Terra, já esta sendo visto de dia, eu o vi no dia 16/12/2018 ás 10:30 até ás 10:55 em Guarulhos-SP depois entrou nuvens na frente, e não deu mais para mim ver. Só que teve muitas pessoas que viram também, no Mairiporã, Campinas, interior de SP, Tocantins e até no País vizinho Peru. Parecia ser uma mini Lua vista a olho nu, eu estava acompanhada com minha mãe, olhamos o objeto e parecia ter uma leve transparência, e uma mancha cinza alaranjada bem no centro do objeto, e percebia-se que ele tinha uma rotação em si mesmo. Foi então que percebemos que se tratava de um corpo celeste, e a primeira coisa que veio a nossas cabeças, foi que se tratava de uma mini Lua semelhante a nossa, então fui pesquisar se não poderia ser o planeta Vênus, entrei no site de monitoramento online chamado (Planeta Fácil), que monitora todos os principais corpos celestes do nosso sistema solar, e vi que naquele horário estava Vênus no céu, bem ás 10:30 próximo ao oeste, e descobri que teve gente que viu ele 10:00 11:00 12:00, 13:00 e 14:00, que é bem o horário que ele estava aparecendo no céu de dia, e ele estava se pondo ás 15:00 Agora mudou muito pouca coisa os horários, pelo fato de ser dia 25/12/2018 Só que ainda estou tentando ver se observo de novo, mas o céu não esta ajudando aqui em São Paulo, e detalhe : teve gente que viu ele uns dias antes do dia 16 de dezembro. Isso é inédito, ver um planeta ao raiar do Sol, de dia na parte da tarde, com isso podemos ver que o planeta Vênus esta se aproximando do planeta Terra, e não é a primeira vez que ele fica assim tão perto, em 24 de setembro de 2015, ele ficou aparecendo de madrugada, durante três semanas seguidas, estava um monstro no céu, muito grande mesmo e avermelhado, para você ter noção, dava para ver ele se movimentando, isso não é normal. Isso tudo esta ocorrendo pelo fato de Nibiru estar se aproximando do nosso sistema solar, juntamente de seus vários planetas, é um sistema solar invasor. Quando o Segundo Sol chegar, para realinhar as órbitas dos planetas….

Deixe um Comentário

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com