Submarino argentino afundado com 44 pessoas é encontrado após 1 ano

0

Em novembro de 2017, o submarino argentino ARA San Juan, da marinha local, desapareceu no mar enquanto voltava para sua base em Buenos Aires. 1 ano depois, ele foi encontrado no meio do caminho entre a cidade de Ushuaia, no extremo sul do país e a capital. O submarino tinha 44 tripulantes e vários países, incluindo o Brasil, participaram dos esforços para localizá-lo antes que os estoques de ar e alimento acabassem.

O ARA San Juan foi descoberto só no dia 17 de novembro de 2018, aproximadamente um ano após seu desaparecimento. O submarino de cerca de 60 metros de comprimento foi localizado a uma profundidade de quase 915 metros no oceano Atlântico, através de mini-submarinos controlados remotamente de propriedade da empresa americana Ocean Infinity, contratada pelo governo argentino para continuar as buscas.

Confira imagens feitas pelo drone submarino:

As buscas com ajuda de marinheiros de vários países foram encerradas ainda no final de novembro de 2017. Os 44 tripulantes tinham acesso a uma quantidade limitada de ar e alimentos, o que fez as autoridades argentinas desistirem da busca humana após alguns dias. Por pressão popular, a Ocean Infinity foi contratada e parece que a busca finalmente foi encerrada.  Agora a empresa e a marinha argentina estudam uma forma de retirar do mar o que sobrou do submarino para providenciar funerais dignos para os  44 tripulantes.

Veja também:   Aokigahara: conheça a misteriosa floresta dos suicidas no Japão

Explosão e erros no alto comando

A história toda ainda não foi totalmente esclarecida pelo governo e a imprensa argentina já divulgou informações comprometedoras. Pouco depois de perder contato com o submarino argentino, os oficiais da marinha detectaram uma forte explosão no último local onde o ARA San Juan havia feito contato. As autoridades abriram um inquérito sobre o acontecido, que já resultou em exonerações no alto escalão da marinha.

O mais provável é que tenha havido uma falha em um dos motores do submarino e a explosão tenha sido gerada por uma enorme bolha de nitrogênio resultante da falha. A embarcação, fabricada na Alemanha, foi reformada entre 2008 e 2014, tendo sido totalmente aberto e com motores reconstruídos.



Deixe um Comentário

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com