10 arranha-céus que se encontram em estado de abandono

0

Existem diversos arranha-céus espalhados ao redor do mundo que se encontram em estado de abandono. Em alguns casos, eles vivem além do seu tempo útil de vida, em outros se tornam perigosos demais para entrarem, ou sequer são inaugurados.

Independente do motivo, confira abaixo 10 arranha-céus que se encontram em estado de abandono:

10) Sterick Building – Memphis, Estados Unidos

arranhaceu1

O Sterick Building foi inaugurado em 1930. Na época, era o edifício mais alto do sul dos Estados Unidos. Também foi a construção mais alta do estado do Tennessee até 1957 e recebeu a alcunha de “Rainha de Memphis”. Primeiramente utilizado como um prédio comercial, ele também possuía uma barberia, uma farmácia, um salão de beleza, escritórios para corretores de ações e até mesmo um banco.

O arranha-céu começou a entrar em declínio em 1960. Diversas tentativas para melhor o local foram feitas, como uma nova pintura parecida com um bronzeado, que permanece até hoje.

Ele foi adicionado ao Registro Nacional de Lugares Históricos dos Estados Unidos em 1978. Mas desde a década de 80, está desocupado. Apesar do interesse em tentar restaurá-lo, problemas ambientais e legais dificultam qualquer plano de remodelação do local.

9) Centro Financiero Confinanzas – Caracas, Venezuela

arranhaceu2

Em 1990, iniciou-se a construção de um novo centro financeiro em Caracas. Ele seria chamado de Centro Financiero Confianzas, encabeçado pelo investidor David Brillembourg. Ele teria o nome de “Torre de Davi”

Infelizmente, Brillembroug faleceu em 1993. No ano seguinte, uma crise bancária atingiu o país e o governo venezuelano assumiu o projeto. Mas desde então, a construção está paralisada.

O prédio não possui sequer o necessário para ser habitável, como água corrente, eletricidade e até mesmo janelas e muros, em alguns lugares. No entanto, quando o país viveu uma crise habitacional, em 2007, diversos sem-teto foram morar no local, que possui 45 andares.

  As mais interessantes curiosidades sobre os médicos

Em 2014, o governo fez uma operação para limpar o local e mover seus habitantes. Apesar da ação, o prédio permanece sem uso e, certamente, permanecerá assim em um futuro próximo.

8) Torre Insignia – Cidade do México, México

arranhaceu3

A Torre Insignia, é um arranha-céu triangular com 25 andares, que se tornou o segundo prédio mais alto do México quando foi concluído, em 1962. Ele foi inaugurado em 1964, e foi utilizado inicialmente pela administração de um complexo de casas local. Depois, se tornou a sede do Banco Nacional de Trabalhos Públicos (Banobras), até ser desocupado em 1985, após um terremoto.

Desde então, o prédio permanece desocupado. Já aconteceram algumas tentativas de renovar o danificado prédio, sendo a mais recente delas em 2011. A Torre Insignia possui uma significância histórica para a área e possui um imenso carrilhão (instrumento musical de percussão), que era tocado todo dia, na época em que o prédio estava em uso. Há um enorme interesse em renová-lo e reutilizá-lo, por conta de sua relevância.

7) Plaza Tower – Nova Orleans, Estados Unidos

arranhaceu4

Se você olhar o horizonte de Nova Orleans, um dos primeiros prédios que você irá notar é a Plaza Tower. O arranha-céu de 45 andares foi concluído em 1968 e é o terceiro edifício mais alto da cidade.

Primeiramente utilizado como um prédio comercial, ele era bastante ocupado, até que muitas pessoas começaram a reclamar do cheiro de mofo e amianto. Esses problemas persistiram até a torre ser desocupada, em 2002. Desde então, ela se encontra em um processo para remover o mofo e o amianto.

  Tecnologia permitirá transferir dinheiro e pagar contas por rede social

O prédio foi leiloado em 2011, por um valor que não foi divulgado. Ainda não se sabe se existem planos para renová-lo no momento. O Plaza Tower já foi o maior prédio de Nova Orleans, na época em que foi erguido, e é uma marca registrada do horizonte da cidade desde então.

6) Book Tower – Detroit, Estados Unidos

arranhaceu5

Em 1916, um prédio de 13 andares chamado de The Book Bulding, foi inaugurado em Detroit. Dez anos depois, um arranha-céu de 38 andares foi conectado ao local, que se tornou conhecido como Book Tower.

Nomeado pelos localmente conhecidos irmãos Book, ele foi o prédio mais alto da cidade por dois anos, até perder o posto para o Penobscot Building, em 1928. O local sobreviveu a Grande Depressão, permaneceu em uso e foi relevante para a cidade durante décadas.

Mas Detroit começou a enfrentar tempos difíceis a partir da década de 70, e muitas empresas e negócios começaram a deixar a cidade, o que fez muitos prédios serem fechados. Apesar de a Book Tower ter sido incluída no Registro Nacional de Lugares Históricos, em 1982, o local não ficou imune ao declínio da cidade.

Problemas financeiros atormentaram a Book Tower. Ações judiciais e hipotecas falhadas fizeram o prédio mudar de donos múltiplas vezes, e o número de locatários só foi diminuindo. Em 2009, o último inquilino deixou o local, e ele está fechado desde então. Pouco após o fechamento, a prefeitura anunciou planos de transformar o edifício em um complexo residencial, mas nada foi feito até agora.

5) Torre Abraham Lincoln – Rio de Janeiro

arranhaceu6

Sim, temos um arranha-céu brasileiro na lista. A Torre Abraham Lincoln (mais conhecida como Torre H), localizada na Barra da Tijuca, é uma de três torres que foram construídas durante um plano de desenvolvimento urbano, na década de 60. O projeto previu a construção de 76 torres residenciais, mas apenas três viram a luz do dia.

  25 curiosidades sobre o desenvolvimento infantil

Um de seus designers foi o arquiteto Oscar Niemeyer, que a criou ao lado de Lucio de Costa. A construção da Torre Abraham Lincoln começou em 1969, mas foi interrompida em 1972 por conta de preocupações com sua integridade estrutural. Ela nunca foi concluída.

No entanto, sua torre gêmea, conhecida como Torre Charles de Gaulle (ou Torre A) foi concluída em 1990, e está ocupada por moradores.

4) Fontainebleau Resort – Las Vegas, Estados Unidos

arranhaceu7

O prédio mais recente desta lista é o Fontainebleau Resort, em Las Vegas, que começou a ser construído em 2007. Ele teria 220 metros de altura, e seria, ao mesmo tempo, um hotel e um resort.

Quando completo, ele seria o prédio mais alto de Las Vegas, e certamente teria aumentado às receitas da Cidade do Pecado. Mas aí a crise de 2008 chegou.

Os bancos que originalmente emprestaram a quantia total de US$ 800 milhões para construir o prédio desistiram do negócio, o que resultou em ações judiciais entre eles e o Fontainebleau. Por conta disso, o Fontainebleau (que já opera na cidade de Miami) entrou com pedido de falência em 2009. O projeto nunca foi recuperado.

Por conta disso, o arranha-céu de 68 andares permanece sem conclusão na famosa Strip de Las Vegas. Desde que a construção foi interrompida, já aconteceram conversas sobre novos projetos e até mesmo a venda da propriedade para novos investidores. Em abril de 2017, foi aprovada a instalação de um novo exterior para o local. Mas seus planos futuros continuam um mistério.

  9 invasões de insetos incríveis

3) Burj Al Murr – Beirute, Líbano

arranhaceu8

Em Beirute, capital do Líbano, existe o Burj Al Murr, um arranha-céu de 34 andares que possui sete andares de subsolo e uma história rica e importante. A torre foi planejada para ser um prédio comercial e um shopping. Mas a construção foi interrompida em 1975, com o início da Guerra Civil Libanesa.

Por conta de sua altura e localização, ele foi rapidamente ocupado por uma milícia armada e utilizado como localização tática durante confrontos em Beirute. Os andares de cima eram utilizados por atiradores, enquanto que os de baixo tinham a finalidade de manter prisioneiros.

Existem muitas histórias sobre o que aconteceu com o arranha-céu durante a guerra. Apesar de a maior parte de Beirute ter sido destruída no conflito, o Burj Al Murr permaneceu de pé.

Após o término da guerra, o prédio sofreu diversas avarias e não estava mais apto para ser construído. Atualmente, ele apenas permanece como uma lembrança do conflito que dizimou a cidade há algumas décadas.

2) Sathorn Unique – Bangcoc, Tailândia

arranhaceu9

Assim como o Fontainebleau, o Sathorn Unique foi vítima de uma crise financeira. Ele é um arranha-céu de 49 andares em Bangcoc, capital da Tailândia. A construção começou em 1990, após um boom econômico na área. Ele foi erguido rapidamente e estava 80% completo, até que a crise financeira asiática de 1997 atingiu a economia local.

Por conta da falta de investimentos (além do fato do designer do prédio ser preso por planejar um assassinato), a construção foi interrompida. E até hoje, não foi retomada.

Autalmente, o Sathorn Unique é conhecido como “Torre Fantasma”. Rumores dizem que o local, que foi tomado por grafites e está em estado precário, se tornou assombrado. Ele atrai muitos curiosos, caçadores de fantasmas, vândalos e sem-teto, que procuram um lugar para ficar.

  9 pessoas reais que inspiraram monstros de Halloween

O problema se agravou tanto que o prédio precisou ser fechado permanentemente para o público. Ainda assim, muitas pessoas tentam invadir o local. Não existem planos para concluir a construção do Sathorn Unique. E por conta de seu estado de deterioração, ele jamais será concluído.

1) Hotel Ryugyong – Pyongyang, Coreia do Norte

arranhaceu10

Os responsáveis pela construção desse imenso arranha-céu em Pyongyang, capital da Coreia do Norte, iniciaram os trabalhos em 1987. Se tivesse sido completado conforme o cronograma, ele seria o hotel mais alto do mundo. Ele seria o primeiro fora de Nova Iorque ou Chicago com mais de 100 andares (isso mesmo, mais de 100 andares). É o maior hotel do mundo… e ainda não está completo.

A construção do Ryugyong foi interrompida em 1992, na mesma época da queda da União Soviética. A economia norte coreana entrou em crise, e o país precisou colocar o projeto em espera.

Por já ter alcançado sua altura máxima, o prédio permaneceu como uma monstruosidade de concreto por 16 anos. Até que em 2008, a construção foi reiniciada quando uma empresa egípcia assumiu o projeto. Um exterior de vidro foi adicionado ao local, mas nenhum trabalho foi feito no seu interior, até a construção ser paralisada novamente.

Em 2013, foi anunciado que o prédio seria, enfim, inaugurado. Mas a inauguração precisou ser cancelada por que o interior ainda não estava completo. Desde então, existem diversos rumores sobre sua abertura, mas nenhum deles se confirmou.

Trinta anos após o início da construção, o Hotel Ryugyong ainda precisa ser concluído. Ainda não se sabe quando ele irá abrir suas portas.

Fonte: Listverse

 

Deixe um Comentário

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com