E se os oceanos fossem de água doce?

0

É irônico pensar em um náufrago no meio do oceano morrendo de sede com tanta água ao seu redor. Porque ao beber água salgada ele só aceleraria o processo de sua morte. Mas e se os oceanos ao invés de salgados fossem de água doce? Ou, de água potável, como preferir.

Acredite ou não, e se os oceanos fossem de água doce?

Em um mundo futuro, onde quase não há recursos de água doce, um cientista radical surgiu com uma ideia de transformar todos os oceanos em água potável.

A ideia geral é a de ser capaz de precipitar o sal, de modo ele que se depositasse no fundo do oceano. As consequencias de um mundo com oceanos de água potável seriam as piores possíveis.

O clima no mundo seria alterado para sempre, mas é difícil descrever detalhadamente como seria esse processo. Você corre o risco de alterar a circulação termohalina, responsável por transportar o calor oceânico. Isso é algo fácil de afirmar já que sabemos que é um sistema dependente de concentrações de água salgada para funcionar. A água aquece nos trópicos e move-se ao longo da superfície do mar em relação a terra. No Atlântico, esta corrente mantém a Inglaterra relativamente quente e no Pacífico traz um clima úmido e mais quente no noroeste. A água, em seguida, esfria, afunda no oceano, e retorna para os trópicos em um ciclogigante.

  Pesquisadores montam árvore genealógica com 13 milhões de pessoas

Gelo em água doce?

O gelo derretido pode ajustar as concentrações de sal dos oceanos suficientemente para interromper este ciclo. Remova todo o sal dos oceanos e o resultado final é algo próximo ao estilo do filme “Um dia depois de amanhã”. A Inglaterra, Escócia e Irlanda… todas entrariam em um ciclo de congelamento, assumindo o clima mais perto possível do norte. Uma média em torno de 10°C mais fria no mínimo. Nós também veríamos as águas dos trópicos aquecendo e as temperaturas da superfície iriam começar a bater novos recordes de forma relativamente rápida. Furacões crescem conforme usam o calor da superfície do oceano … com uma fonte de combustível maior é lógico que seremos varridos por tempestades monstruosas e muito mais frequentes. O que se viu durante o furacão Katrina seria algo… corriqueiro.

Também veríamos icebergs e calotas de gelo muito rapidamente… a água salgada afeta a temperatura em que a água congela de forma significativa, permitindo que a água fria do oceano não congele imediatamente. Isto teria realmente muito efeito no aquecimento global, já que transformaria massas d’água em gelo e liberaria a energia envolvida no processo. Você então veria um aumento de temperatura no mundo de 2 a 5 graus em média, muito rapidamente também. Isso seria temporário já que é possível que o gelo formado começasse refletindo grandes quantidades de luz solar atingindo e iniciando uma nova tendência de resfriamento.

  China quer fazer chuva artificial em uma área do tamanho do Alasca

Umidade

Áreas tropicais se tornariam muito mais úmidas (especialmente perto dos oceanos) haveria uma quantidade significativamente maior de chuva. A linha do equador ganharia uma quantidade enorme de calor. Com ostrópicos úmidos e quentes e com toneladas de chuva, teríamos os furacões mais ferozes já testemunhados. Cidades seriam varridas e encostas desabariam matando milhões de pessoas. Isso também afetaria a medio prazo os meios de transportes e muitas cidades que dependem de produção de recursos ficariam isoladas e sem reabastecimento de comida. Também pelo fato do colapso global do sistema agrícola, deixando a população sem alimento.

Não há maneira possível de resolver o impacto ao ecossistema ou… muito poucas espécies são capazes de atravessar da água salgada para a água doce e este evento tornaria-se uma extinção em massa similar ao impacto do meteoro que extinguiu os dinossauros. Nós não estamos falando de alguns peixes de água salgada, estamos falando de cada última criatura viva no oceano, incluindo os que ainda nem conhecemos.

Acredita-se que cerca de dois terços do oxigênio que respiramos venha dos oceanos e com a morte das espécies de algas marinhas e planctons só teríamos as florestas como principais fontes de oxigênio. Como boa parte das florestas ou congelaria ou seriam devastadas por tempestades e furacões, teríamos uma outra fonte de extinção em massa. Morreríamos por sufocamento. Já a curto prazo teríamos um aumento gradativo e assustador de gás carbônico na atmosfera, já que os oceanos são responsáveis por grande parte da absorção desse gás, isso faria acelerar a morte de várias espécies por sufocamento e até doenças do sistema respiratório.

  Conheça os objetos de plástico que se conectam à internet sem eletrônica

Agora, se você clicou aqui para saber o que aconteceria se os oceanos fosse de água doce desde sempre, bem… não seria você que estaria perguntando isso. Muito provavelmente a vida seria tão diferente no planeta Terra, que o ser humano não existiria.

E mais uma vez, vimos um cenário onde, mudar a natureza, ou mudar o que já está funcionando, seria catastrófico. No final das contas, vamos deixar os oceanos salgados mesmo, né?



Deixe um Comentário

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com