Entenda por que boa parte das pessoas têm medo de cobras e aranhas

0

Se você tem medo, desde que era apenas criança, de cobras e aranhas, já imagina que é algo que está associado com a própria espécie humana ou enraizado das mais diversas culturas espalhadas pelo planeta. Mas uma pesquisa recente, feita com bebês humanos, pode ter encontrado uma resposta definitiva para esse tema.

Pesquisadores do Instituto Max Planck, na Alemanha, decidiram expor diversos bebês, com apenas seis meses de idade, a várias imagens que continham aranhas para ver a resposta que tinham.

Sentados no colo de seus pais, os bebês também visualizaram imagens de flores, enquanto que em um experimento em separado, também viram algumas fotos que tinham peixes e cobras.

Enquanto isso, a dilatação das pupilas dos pequenos eram medida por meio de um rastreador infravermelho, o que é um indicativo dos níveis de noradrenalina no nosso corpo, composto químico responsável por nos deixar alerta em situações de alerta e perigo.

“Quando mostramos imagens de cobras ou aranhas para os bebês, ao invés de flores ou peixes do mesmo tamanho e cor, eles reagiram com pupilas significativamente maiores”, disse a neurocientista Stefanie Hoehl, uma das envolvidas no estudo.

“Essa mudança no tamanho das pupilas é um importante sinal da ativação da noradrenalina no cérebro, responsável por agir em situações de estresse. Até mesmo os bebês mais jovens parecem ficar estressados com esse grupo de animais”, complementou.

No caso das aranhas, a dilatação ficou na casa dos 0,14 milímetros, enquanto que nas flores, foi registrado apenas 0,03 mm. Já com relação aos peixes e cobras, as diferenças foram menores, pois segundo sugestão dos cientistas, eram imagens com dois animais vivos, o que pode causar respostas similares.

De qualquer forma, as cobras e aranhas foram responsáveis por provocar uma grande dilatação nas pupilas, isso em crianças que ainda não tem noção de como que os dois animais são perigosos. E qual a razão por trás disso?

“Concluímos que o medo de cobras e aranhas tem uma origem evolucionária. Similar aos primatas, os mecanismos no nosso cérebro nos permite identificar objetos como ‘cobra’ e ‘aranha’ e reagir a eles muito rápido”, explicou Stefanie Hoelh.

Os responsáveis pela descoberta ainda não sabem precisar se esse mecanismo hipotético realmente existe, mas a ideia é que, de alguma forma, com o passar de antigas gerações, nossos ancestrais desenvolveram um trato que “garante atenção especial e facilitou o aprendizado de perigos da origem humana”, disseram os pesquisadores na publicação.

Em outras palavras, por mais que agora a humanidade viva protegida em suas casas e quase não entre em contato com esses animais, o medo e repulsa que temos de cobras e aranhas pode ser um instinto de sobrevivência que desenvolvemos em tempos antigos.

Deixe um Comentário

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com