Pesquisa apura 1 bilhão de fumantes no mundo; Brasil é referência anti-tabaco

0

Cerca de 1 bilhão de pessoas em todo o mundo são consideradas fumantes. Todas elas acendem, pelo menos, um cigarro todos os dias. O diagnóstico em questão foi obtido após uma pesquisa feita pela Universidade de Washington, nos Estados Unidos, e publicado no periódico científico The Lancet.

Embora a porcentagem de pessoas que fumam tenha diminuído, o número total de fumantes realmente aumentou. Isto ocorreu devido ao crescimento populacional vivenciado em nosso planeta. Ou seja: há mais pessoas na Terra, logo, há mais fumantes, mas, em comparação com a população global, a porcentagem de pessoas que fazem uso do tabaco é menor do que era há 25 anos.

No estudo, os pesquisadores analisaram os dados sobre fumantes em 195 países e territórios entre 1990 e 2015. Aproximadamente 933 milhões de pessoas fumavam diariamente em 2015. A população mundial era de 7,2 bilhões em 2015, em contraponto aos 5,3 bilhões vivos em 1990, de acordo com um censo feito pelos Estados Unidos.

 

Brasil bate recorde positivo

(Foto: Ana Guzzo / Flickr)
(Foto: Ana Guzzo / Flickr)

Entre as notícias relativamente positivas apresentadas por esta pesquisa, o Brasil se destaca como o país com a terceira maior redução de fumantes entre 1990 e 2015. Entre os 10 países com o maior número de fumantes, a maior queda neste preocupante índice foi no Brasil.

Entre os homens brasileiros, houve decréscimo de 56,5% com relação aos dados de 1990. Já entre as mulheres, a redução foi de 55,8% em comparação ao início da década de 90.

Veja também:   Planeta mais distante dentro do Sistema Solar é descoberto

A pesquisa aponta, ainda, que os programas de controle e conscientização sobre o tabaco foram os responsáveis pela redução de número de fumantes no Brasil. No Panamá e em outros países da América Latina, o resultado foi semelhante, no entanto, devido ao volume de pessoas que vivem em nosso país, o resultado por aqui foi ainda mais satisfatório.

Veja o diagnóstico feito pelos pesquisadores sobre o Brasil neste quesito:

“O Brasil […] é uma história de sucesso. A redução foi obtida por meio de uma combinação de políticas de controle do tabagismo, com restrições publicitárias e proibições de fumo em lugares públicos a partir de 1996. Isto culminou com o Brasil alcançando o maior nível de realização em todas as medidas previstas, exceto para monitoramento, até 2011. Políticas abrangentes foram complementados com intervenções fiscais, que incluíram aumento de impostos e estabelecimento de preços mínimos para os produtos do tabaco.”

Dados gerais sobre os fumantes

fumando

Mais de 80% destes fumantes diários em 2015 eram homens, de acordo com o estudo. Em todo o mundo, um em cada 4 homens fumavam todos os dias, em comparação com uma em cada 20 mulheres.

As taxas diárias de tabagismo nos homens diminuíram de 35% em 1990 para 25% em 2015. Já nas mulheres, diminuíram de 8% em 1990 para 5% em 2015.

Dados geográficos

00-planeta-terra-mundo

Em 2015, mais de metade dos homens fumantes do mundo estavam em apenas três países. São eles:

Veja também:   Cientistas brasileiros calculam possibilidade de vida extraterrestre

– China (254 milhões de fumantes);
– Índia (91 milhões);
– Indonésia (50 milhões).

Embora a China, Índia e Indonésia tenham o maior número de homens fumantes, foi a nação insular do Pacífico de Quiribati que teve a maior porcentagem de pessoas do sexo masculino que fumam. Quase 50% dos homens em Kiribati consumiam tabaco diariamente em 2015.

Os países com maior número de mulheres fumantes em 2015 foram:

– Estados Unidos (17 milhões de fumantes);
– China (14 milhões);
– Índia (13,5 milhões).

Juntos, esses três países representaram pouco mais de um quarto das mulheres fumantes em todo o mundo, os pesquisadores descobriram.

A maior taxa de tabagismo feminino em 2015 foi na Gronelândia. Os pesquisadores descobriram que 44% das mulheres no território dinamarquês fumavam diariamente, de acordo com o estudo.

Mais de 11% das mortes em todo o mundo no ano de 2015 ocorreram devido ao tabagismo. Pouco mais de metade dessas mortes ocorreu em quatro países: China, Índia, Estados Unidos e Rússia.

Deixe um Comentário

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com