Prédio dos Jogos de Inverno é o mais escuro da história; veja imagens

0

Os Jogos Olímpicos de Inverno de 2018 tiveram início na última sexta-feira (9), na cidade de Pyeongchang, na Coreia do Sul. Mas além de todas as modalidades esportivas, existe um prédio no local que chamará a atenção do público por uma simples coisa: ele foi pintada com um dos pigmentos mais escuros já feitos.

O Hyundai Pavilion, criado pelo arquiteto Asif Khan apenas para os Jogos Olímpicos, tem 10 metros de altura e 35 de largura. E seu exterior foi pintado com o Vantablack VBx 2, uma variação do Vantablack, um dos pigmentos mais escuros já criados pelo homem.

prédio-mais escuro 1

Essa tinta, criada pela empresa britânica Surrey NanoSystems, chega a absorver 99% da luz visível, o que resulta em um efeito que faz parecer que o local foi tomado por uma imensa escuridão.

O Vantablack original, apesar de seu efeito considerado bacana, é aplicado de uma forma muito complicada, que envolve o uso de nanotubos de carbono. Mas isso era necessário para que o pigmento conseguisse absorver quase toda luz visível refletida nele, incluindo até mesmo a luz ultravioleta e infravermelha.

Já o Vantablack VBx 2 não precisa fazer uso desses nanotubos de carbono e pode ser aplicado em forma de spray, apesar de absorver apenas a luz visível. E pode ser utilizado comercialmente.

Em seu exterior, o pavilhão possui alguns bastões espalhados pela estrutura, que têm suas pontas iluminadas e cria o efeito de estrelas brilhando em um fundo completamente escuro.

  Por que os micróbios podem ser a grande ameaça de uma viagem para Marte?

prédio-mais escuro 2

“De longe, a estrutura para uma janela olhando as profundezas do espaço sideral. E conforme você se aproxima dela, passa a impressão de que a escuridão toma conta de seu campo de visão. Então, conforme você entra no prédio, parece que você está sendo absorvido por uma nuvem de escuridão”, disse Asif Khan.

Por fim, o interior do pavilhão é o oposto de seu exterior. Ele é feito de Corian, superfície branca muito utilizada em cozinhas. O prédio é uma espécie de instalação aquática, com 25 mil gotas d’água circulando em seu chão, que é hidrofóbico.

Alguns sensores permitem a interação de visitantes com o pavilhão, que podem mudar o ritmo da queda dessas gotas d’água em um lago central, que é formado e drenado com o passar do tempo.

O prédio já está aberto para visitação ao público que for acompanhar os Jogos Olímpicos de Inverno. Confira mais detalhes no vídeo abaixo.

Os Jogos Olímpicos de Inverno de 2018 tiveram início na última sexta-feira (9), na cidade de Pyeongchang, na Coreia do Sul. Mas além de todas as modalidades esportivas, existe um prédio no local que chamará a atenção do público por uma simples coisa: ele foi pintada com um dos pigmentos mais escuros já feitos.

O Hyundai Pavilion, criado pelo arquiteto Asif Khan apenas para os Jogos Olímpicos, tem 10 metros de altura e 35 de largura. E seu exterior foi pintado com o Vantablack VBx 2, uma variação do Vantablack, um dos pigmentos mais escuros já criados pelo homem.

  Brasileiro que viajou à Coreia do Norte relata boas impressões do país

Essa tinta, criada pela empresa britânica Surrey NanoSystems, chega a absorver 99% da luz visível, o que resulta em um efeito que faz parecer que o local foi tomado por uma imensa escuridão.

O Vantablack original, apesar de seu efeito considerado bacana, é aplicado de uma forma muito complicada, que envolve o uso de nanotubos de carbono. Mas isso era necessário para que o pigmento conseguisse absorver quase toda luz visível refletida nele, incluindo até mesmo a luz ultravioleta e infravermelha.

Já o Vantablack VBx 2 não precisa fazer uso desses nanotubos de carbono e pode ser aplicado em forma de spray, apesar de absorver apenas a luz visível. E pode ser utilizado comercialmente.

Em seu exterior, o pavilhão possui alguns bastões espalhados pela estrutura, que têm suas pontas iluminadas e cria o efeito de estrelas brilhando em um fundo completamente escuro.

“De longe, a estrutura para uma janela olhando as profundezas do espaço sideral. E conforme você se aproxima dela, passa a impressão de que a escuridão toma conta de seu campo de visão. Então, conforme você entra no prédio, parece que você está sendo absorvido por uma nuvem de escuridão”, disse Asif Khan.

Por fim, o interior do pavilhão é o oposto de seu exterior. Ele é feito de Corian, superfície branca muito utilizada em cozinhas. O prédio é uma espécie de instalação aquática, com 25 mil gotas d’água circulando em seu chão, que é hidrofóbico.

  Fósseis de dinossauros de 320 milhões de anos são descobertos no Brasil

Alguns sensores permitem a interação de visitantes com o pavilhão, que podem mudar o ritmo da queda dessas gotas d’água em um lago central, que é formado e drenado com o passar do tempo.

O prédio já está aberto para visitação ao público que for acompanhar os Jogos Olímpicos de Inverno. Clique aqui para conferir um vídeo do prédio.

Deixe um Comentário

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com