10 coisas comuns em sua rotina que são ilegais na Coreia do Norte

3

Não é fácil viver no Brasil. Impunidade, injustiça, desigualdade social, entre diversos outros fatores, fazem com que nós consideremos a vida por aqui bastante complicada. Entretanto, o Brasil está longe de ser um dos piores países para se viver. Por aqui, temos diversas condições que garantem a nossa liberdade. Em um país como a Coreia do Norte, a situação não é assim: o regime fechado de Kim Jong-un faz com que o local seja um dos mais difíceis de se viver.

Veja, abaixo, 10 coisas que podem estar ligadas à sua vida ou rotina e que são ilegais na Coreia do Norte.

1) Ter o mesmo nome que o líder da nação

01 kim jong un

Pode até ser que existam alguns Michel Temer no Brasil. Entretanto, na Coreia do Norte, não pode haver nenhum Kim Jong-un, devido ao nome do governante máximo ser Kim Jong-un. Em meados de 2014, todos que tinham o nome de “Kim Jong-un” tiveram que alterar seus nomes, “voluntariamente”, pois passou a ser crime ser homônimo ao líder supremo. Ficou proibido, também, que crianças recém-nascidas fossem registradas sob o nome de “Jong-un”, mesmo que o sobrenome não fosse Kim.

2) Ter um parente criminoso

02 prisão

Caso alguém de sua família cometa um crime na Coreia do Norte, todos os parentes passam a ser corresponsáveis por essa pessoa. A justificativa é que, nas veias de todos, corre o mesmo sangue do criminoso em questão.

  10 tecnologias de ficção científica que já existem e que são incríveis

3) Usar biquíni

03 biquíni

No Brasil, as pessoas usam roupas de banho até quando não estão em praias ou próximas a piscinas. Na Coreia do Norte, é proibido mostrar o umbigo em espaços públicos – portanto, nada de roupas de banho por lá.

4) Escolher sua profissão

04 profissão

Após um jovem concluir seus estudos e o serviço militar na Coreia do Norte, uma profissão é designada para ele. A pessoa não pode opinar. Um jovem de 18 anos, chamado Ahn Myeong Cheol, chegou a se mudar para a Coreia do Sul após ter sido designado para cuidar de um campo de prisioneiros políticos.

5) Ter uma bíblia

05 bíblia

Joffrey Fowle, um americano de 56 anos, foi preso por 5 meses na Coreia do Norte após deixar uma bíblia no banheiro de um restaurante. Existem algumas igrejas na Coreia do Norte – adeptas ao budismo –, mas todas elas são controladas pelo governo. Cristãos e pessoas com outras crenças são perseguidos.

6) Sorrir, beber e falar alto em datas especificas

06 festa

Após a morte do primeiro líder supremo da Coreia do Norte, Kim Il-sung, em 1994, proibiu-se que os cidadãos fizessem qualquer tipo de comemoração no dia 8 de julho. Este é o dia em que todo o país fica de luto.

7) Consumo de pornografia e prostituição

07 pornografia

Na Coreia do Norte, quem é pego consumindo pornografia ou praticando atos de prostituição pode ser executado publicamente, para que as outras pessoas não repitam os mesmos erros. E isso vale tanto para homens quanto para mulheres.

  10 mortes acidentais bizarras do século XXI

8) Dirigir (para mulheres)

08 dirigir

Mulheres não podem dirigir na Coreia do Norte. Apenas uma em cada 100 norte-coreanos possui um veículo. Homens podem conseguir a licença, mas, culturalmente, utiliza-se o transporte público por lá.

9) Ligar pra fora do pais

Brasília - Ligação de telefone fixo
(Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

Quem mora na Coreia do Norte, não pode fazer telefonemas para fora.. Em 2007, um homem foi morto a tiros publicamente porque estava fazendo ligações internacionais.

10) Entrar na internet

10 internet

Com tudo isso, se você acha que, pelo menos, poderia acessar internet para ter algum tipo de entretenimento virtual, saiba que isso também não é possível. Apenas a elite do governo, estrangeiros e jornalistas a trabalho têm acesso a conteúdo online – e tudo isso com uma péssima conexão.

Texto originalmente escrito por Renan Ralts para o canal Acredite ou Não, no YouTube. Edição textual por Igor Miranda.



Discussão3 Comentários

  1. E tem muita gente no Brasil que sonha com um país ao estilo da Coreia do Norte. A deputada Jandira Fegalli , do PSOL, por exemplo, não perde a chance de enviar emails carinhosos para o lider Kin-Jon-Un

Deixe um Comentário

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com