De cérebro a testículos: 10 órgãos inusitados que também são alimento

0

Comer carne de qualquer animal é algo rotineiro para muitas pessoas, com a exceção de vegetarianos e veganos. Mas por acaso, você já imaginou comer órgãos como cérebro, rins, estômago e testículos? Por mais estranho, bizarro e nojento que possa parecer, sabia que esse é um costume muito comum na vida de muitas pessoas ao redor do mundo.

Com isso em mente, confira abaixo 10 órgão inusitados que são alimento em vários países.

10) Língua de boi

órgãos-pratos 1

Existem muitos locais do planeta que apreciam uma língua de boi, com a diferença de que cada país possui seu método de preparar a iguaria.

Normalmente, ela costuma ser feito como um bife comum. É mais ou menos a forma que é preparada no Japão, especialmente na região da cidade de Sendai, onde é vendida em barracas de rua e estações de trem, acompanhada do bom e velho arroz.

Já no México, ela também costuma ser usada no preparo dos famosos tacos, onde recebe o nome de tacos de lengua.

9) Moela de frango

órgãos-pratos 2

A moela é o órgão responsável por triturar os alimentos nas aves, mas ela também não deixou de se tornar alimento em muitos lugares, incluindo o Brasil, especialmente na cozinha mineira.

Nos Estados Unidos, o prato é muito comum no sul, onde a moela costuma ser frita igual frango. Na Nigéria, ela é usada no preparo de uma sopa apimentada. E em Portugal, faz parte de um caldo que possui alho, cebola e vinho tinto como temperos.

A moela também é muito comum em países do sudeste asiático, como Tailândia, Hong Kong, Taiwan e Filipinas.

8) Coração de boi

órgãos-pratos 3

Um dos órgãos mais importantes de qualquer animal também pode virar alimento. O coração bovino, inclusive, é recomendado por alguns nutricionistas por ter altas concentrações de vitamina B e ferro. Vira e mexe, é possível encontrá-lo à venda em supermercados aqui no Brasil.

Nos Estados Unidos, ele costumava ser usado para carne moída, mas esse hábito acabou com o tempo. No entanto, muitos restaurantes ainda preparam o coração igual a um bife. No estado da Georgia, até virou uma carne muito comum em churrascos.

Peru, França, Dinamarca e Japão também são outros países que usam o coração bovino como alimento.

7) Rim de ovelha

órgãos-pratos 4

O rim de ovinos também é usado como alimento em muitos lugares do planeta. Um exemplo é Hong Kong, onde costumam ser fritos em uma panela wok, em uma técnica de cozimento conhecida como stir-fry, e são bastante apreciados.

Na França, os rins costumam ser refogados ou grelhados. Já na Inglaterra, muitos o comem acompanhado de pão ou em meio a ensopados e tortas. E durante a Grande Depressão dos EUA, a população costumava comprar o órgão por conta do alto preço da carne na época.

6) Cérebro de cabra

órgãos-pratos 5

Esse é um dos órgãos mais inusitados e bizarros da lista. Sim, em muitas partes do mundo, existe o costume de comer o cérebro de cabras.

Isso é até algo comum no Oriente Médio. Já na cidade de Mumbai, na Índia, o cérebros das cabras é usado em um prato conhecido como maghaz masala, em que o órgão é temperado com curry e alguns tipos de pimenta. Quem já comeu afirma que o gosto lembra o de ovos mexidos.

No México, o órgão também é usado no preparo de tacos. E na França, a cabeça das cabras já substituiu a de bezerros para a produção do popular prato tete de veau.

5) Fígado de pato

órgãos-pratos 6

Esse item da lista é bastante conhecido e também controverso. O foie gras é um dos pratos mais famosos da França e se espalhou para o mundo todo. No entanto, ele virou motivo de polêmica pelo fato do patos serem forçados a comer altas quantidades de comida para que seus fígados fiquem gordurosos.

Já na Argentina, ele costuma ser comido até mesmo cru. E é bastante usado na chamada dieta paleolítica, que prioriza o consumo de alimentos in natura.

4) Estômago de ovelha

órgãos-pratos 7

O prato mais popular da Escócia é o haggis, que se trata de uma mistura do coração, pulmão e fígado de uma ovelha com cebola e farinha de aveia, que são colocados dentro do estômago do animal.

E países com grande concentração de imigrantes escoceses, como Estados Unidos, Canadá, Austrália e Nova Zelândia, também costumam produzir o haggis.

Na Romênia, o estômago do animal é usado em uma sopa de gosto levemente azedo com o intuito de curar a mais forte das ressacas.

3) Intestino de porco

órgãos-pratos 8

Usamos a carne dos porcos para uma infinidade de coisas e nem mesmo seus órgãos escapam. Um exemplo é o intestino, utilizado no preparo de diversos pratos ao redor do mundo.

Na Coreia do Sul, ele é usado no soondae, que é o intestino do bicho recheado com o sangue dele acompanhado de macarrão e alguns temperos. Já na China, o órgão costuma ser utilizado para a produção de um tipo de chouriço (linguiça feita com o sangue do porco) e costuma ser servida nos meses de inverno.

Já em Cingapura, os intestinos costumam ser vendidos igual espetinhos no Brasil e podem ser facilmente encontrados em barracas de rua.

2) Testículos de boi

órgãos-pratos 9

No estado americano do Colorado, existe um prato chamado “Rocky Mountain Oysters”, que em tradução literal, significa “Ostras das Montanhas Rochosas”. No entanto, apesar do nome, o prato é feito com testículos bovinos, que são mergulhados em uma massa e fritos. E o pessoal de lá adora.

Na Espanha, existe um prato semelhante que é considerado afrodisíaco, com a diferença de que os testículos também são mergulhados em vinho tinto. Já na Guatemala e Nicarágua, o famoso ceviche peruano é feito justamente com esses órgãos. Eles também são usado como sopa no Vietnã.

1) Placenta humana

órgãos-pratos 10

Por fim, vamos terminar com o item mais inusitado e bizarro da lista. Sim, comer a placenta de mulheres que acabaram de dar à luz se tornou uma tendência em alguns locais, apesar do costume não ser recente.

Em várias culturas, se alimentar da placenta é visto com um rito de passagem muito importante. Na China, ela costuma ser usada no tratamento de problemas como infertilidade e impotência.

Atualmente, criou-se o costume de usar placenta em pó no tratamento de mulheres com depressão pós-parto, apesar da falta de evidências científicas.

Apesar de começar a ser usada para uma infinidade de coisas, o Centro de Controle de Doenças dos EUA já afirmou que a placenta pode conter altos níveis de bactérias e outros patógenos.

Fonte: Listverse



Veja também:   Antivacina: por que algumas pessoas não acreditam na imunização

Deixe um Comentário

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com