Doença do ‘cervo zumbi’ também pode afetar humanos, diz pesquisador

0

Os cervos, mais conhecidos como veados aqui no Brasil, existem em praticamente todo o planeta, com a exceção da Austrália e Antártida. No entanto, eles estão cada vez mais agressivos em alguns estados dos Estados Unidos por conta de uma enfermidade conhecida como doença do “cervo zumbi”, que de acordo com um especialista, também pode afetar os seres humanos.

Além desses casos de agressividade, muitas pessoas notaram que alguns cervos tropeçam com frequência, babam e aparentam estar muito magros. São os sintomas da chamada Doença Debilitante Crônica, que ganhou o nome de  “cervo zumbi” por conta da aparência dos animais afetados por ela.

E aos poucos, a vítima começa a perder a capacidade de se comunicar e até se mover, morrendo pouco tempo mais tarde.

A doença do “cervo zumbi” é causada por príons, que são proteínas que acabam se tornando infecciosas. E diferente dos vírus e bactérias, elas não possuem DNA ou RNA.

Até onde se sabe, essa doença afeta apenas cervos, veados e alces. No entanto, também existe uma enfermidade causada pelos príons que pode afetar os seres humanos, conhecida pelo nome de Doença de Creutzfeldt-Jakob, que atinge pessoas jovens e pode ser contraída a partir do consumo de carne de animais portadores da Encefalotapia Espongiforme Bovina, conhecida popularmente como doença da vaca louca.

E agora, segundo Michael Osterholm, da Universidade de Minnesota, também existe a chance do mesmo ocorrer com o consumo da carne de animais afetados pela doença do “cervo zumbi.”

“Meu melhor julgamento profissional baseado na minha experiência em saúde pública, no risco de transmissão de ‘vaca louca’ para humanos nas décadas de 1980 e 1990 e a extensa revisão e avaliação de estudos de pesquisa em laboratório diz que é provável que casos humanos de Doença Debilitante Crônica associados ao consumo de carne contaminada sejam documentados nos próximo anos. É possível que o número de casos humanos seja substancial e que não sejam eventos isolados”, disse o cientista.

E Osterholm pode estar certo. Um relatório do Centro de Doenças Contagiosas dos EUA relatou o caso de três pacientes, no início dos anos 2000, que se alimentaram da carne de animais selvagens.

Dois eles apresentaram sintomas da Doença de Creutzfeldt-Jakob, enquanto que o outro teve apenas um sinal causado por enfermidade priônica: rápida deterioração neurológica. Todos os pacientes morreram pouco tempo depois.



Veja também:   Hoje! Última Superlua do ano poderá ser vista na noite desta quarta-feira

Deixe um Comentário

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com