Facebook está criando criptomoeda para o WhatsApp, aponta rumor

0

Sabemos que o Facebook, apesar de se tratar de uma rede social, gosta de realizar investimentos em outras áreas de tecnologia. Agora, o novo rumor da vez aponta que a empresa está desenvolvendo uma criptomoeda para o WhatsApp, e tudo por conta da Índia. Entenda mais abaixo.

A informação foi divulgada pelo site de notícias Bloomberg, a partir de fontes da empresa que pediram para não ser identificadas. Ao que tudo indica, o Facebook está desenvolvendo uma criptomoeda conhecida como stablecoin, que é uma moeda digital que está atrelada ao dólar americano, para minimizar a volatilidade cambial entre Estados Unidos e Índia.

O WhatsApp, que é de propriedade do Facebook, é muito utilizado na Índia, já que em torno de 200 milhões de pessoas utilizam o aplicativo de mensagens no país. A nação também é a líder mundial de remessas (dinheiro enviado por emigrantes para suas famílias), pois segundo o Banco Mundial, 69 bilhões de dólares foram enviados para lá em 2017.

Ainda de acordos com essas fontes anônimas, o Facebook ainda está longe de lançar essa criptomoeda, pois a empresa ainda trabalha em sua estratégia, o que inclui um plano para os chamados ativos de custódia, que são as moedas comuns que seriam usadas para proteger o valor da mais nova stablecoin do mercado.

Outro indício de que o Facebook pode realmente estar desenvolvendo essa criptomoeda é a contratação do ex-presidente da PayPal, David Marcus, que ocorreu em 2014 para chefiar o Messenger, o aplicativo de mensagens da empresa. Marcus também se tornou chefe das iniciativas de blockchain (a rede de blocos encadeados para manter a segurança de uma transação financeira digital) da rede social em maio deste ano, que já conta com um total de 40 funcionários.

É importante lembrar que o Facebook terá uma tarefa árdua pela frente, já que as stablecoins são difíceis de ser mantidas e regulamentadas dentro do mercado financeiro. Por exemplo, o Tether, que é considerada a mais famosa das stablecoins, vive cercada de controvérsias. Seus responsáveis garantem que cada token é lastreado por um dólar americano, mas a empresa vive recusando qualquer tipo de auditoria, o que gera dúvidas sobre a veracidade dessa informação.



Veja também:   Como seria se o Brasil tivesse uma bomba atômica?

Deixe um Comentário

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com