O choro de Son, sul-coreano que pode servir ao Exército após a Copa

0

Triunfar com a Coreia do Sul ou deixar o futebol de elite. Essas são as duas opções de um dos destaques da seleção sul-coreana, o Son Heung-Min. O atacante do Tottenham chorou muito após o segundo jogo – e a segunda derrota – do seu país nesta Copa do Mundo.

Após o apito final do duelo contra o México, Son e seus companheiros de seleção estão a um passo de serem eliminados do Mundial na Rússia. Para se manterem na competição o time precisa: vencer a Alemanha, torcer por uma vitória do México e ainda tirar a diferença de gols nos critérios de desempate.

Mas por que isso seria mais importante para Son do que seus companheiros? O jogador corre o risco de ter que servir ao Exército sul-coreano por dois anos, já que precisa completar seus 21 meses de serviço militar até completar 28 anos. Como ele tem 25, ele teria que se apresentar em julho de 2019.

O Tottenham, entretanto, ainda tem maneiras de não perder um de seus destaques. Isso pois o governo sul-coreano é conhecido por oferecer um passe para atletas bem sucedidos. Na Copa da Rússia, a Coreia do Sul teria que chegar até a semifinal.

A segunda chance de fugir desta obrigação é ganhar os Jogos Asiáticos da Indonésia, que começam em agosto. Depois, o último suspiro é terminar em 1º lugar na Copa da Ásia de 2019, em janeiro, nos Emirados Árabes Unidos.

De acordo com o The Sun, caso ele se recuse a servir o exército, o jogador correr o risco de ser preso. Caso realmente tenha que cumprir sua obrigação com o país, o menos ele poderá continuar batendo bola pelo Sangju Sangmu, o time do exército sul-coreano, que disputa a primeira divisão do país.

Veja também:   Sabia que o fogovivo de Game of Thrones existiu de verdade? Entenda



Deixe um Comentário

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com