Os desafios da viagem da nova sonda que a Nasa enviou para Marte

0

Nas primeiras horas da manhã do último sábado (5), a Nasa lançou a sonda InSight rumo a Marte. O lançamento ocorreu na base área de Vandenberg, o que também se tornou um marco: pela primeira vez, uma missão interplanetária começou na Costa Oeste dos Estados Unidos. E agora, enfrentará um série de desafios até chegar ao Planeta Vermelho.

Aproximadamente uma hora e meia após deixar a base, a espaçonave que carrega o InSight se separou de seu foguete principal e começou sua jornada rumo a Marte. Alguns minutos depois, a agência espacial americana recebeu um sinal da nave que levava a sonda, confirmando que tudo estava bem com ela.

Enviada para estudar o interior de Marte, onde irá detectar a atividade sísmica do Planeta Vermelho e monitorará seu calor para melhorar a compreensão sobre a formação de planetas rochosos, a InSight entrará na atmsfera marciana e depois, descerá tranquilamente em sua superfície com a ajuda de um paraquedas. Isso deve ocorrer por volta das seis da tarde (no horário de Brasília) do dia 26 de novembro.

Mas a sonda e a espaçonave que a carrega passarão por grandes desafios antes de chegarem ao seu destino final. 10 dias após o lançamento, a InSight passará por uma série de testes para garantir que ela está pronta para sua missão em Marte.

Durante os sete meses de viagem (cerca de 210 dias), controladores de voo checarão frequentemente os controles e calibrarão os sistemas da espaçonave e seus instrumentos, além de executar as manobras necessárias para que ela siga a trajetória correta e pouse tranquilamente em Marte.

Veja também:   O que acontece com o cérebro no momento da morte?

Seis correções de trajetória estão previstas para acontecer durante os sete meses da viagem para Marte. Os controles ainda terão duas janelas extras para possíveis alterações, caso sejam necessárias.

“Algumas delas (correções) podem ser ignoradas se tudo estiver bem, e outras realmente teremos de fazer. Já outras faremos pouco antes da entrada, no pouso e na aterrisagem, apenas para garantir que atingiremos o local exato para uma aterrisagem de sucesso”, revelou Tim Hoffman, responsável pelo projeto InSight e membro do Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa.

Essas correções na trajetória da nave que leva a InSight também possuem outro objetivo que pouca gente deve se tocar: garantir que a nave e a InSight estejam devidamente limpas de bactérias e microrganismos terrestres antes do pouso em solo marciano.

Caso essas coreções na trajetória não sejam feitas, especialmente a primeira que está agendada para a próxima semana, a sonda pode passar por Marte a uma distância de apenas alguns milhares de quilômetros.

Entre os intervalos dessas correções, os controladores precisarão testar os instrumentos da InSight, como seu sismógrafo, que foi uma cortesia da agência espacial francesa; e o aparelho para medir o calor e as propriedades físicas de Marte, feito pela agência espacial alemã.

Junto da sonda, também foram lançados duas espécies de satélites de comunicação, que acompanharão a espaçonave até Marte. Eles se separam dela e realizaram um tipo de manobra para estabilizar sua altitude.

E foram esses dois satélites os responsáveis por avisar a todos na Terra que estava tudo sob controle. Agora é aguardar e torcer para que tudo saia conforme planejado e que a sonda InSight chegue até Marte para cumprir seu objetivo.

Veja também:   Por que os ouvidos doem em viagens de avião - e como amenizar isso

Deixe um Comentário

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com