Se eu quiser falar com Deus: o que é a ayahuasca e quais os efeitos do chá?

0

Em muitas culturas da região amazônica, é consumido um preparado conhecido como ayahuasca, entre outros nomes. A bebida promete elevar a consciência do usuário até esferas superiores, onde ele poderia conversar com deuses, divindades e espíritos a fim de obter favores e orientação. Mas será que é realmente seguro utilizar um alucinógeno tão potente para fins religiosos?

A bebida nada mais é do que um chá preparado a base de duas plantas, a chacrona e o cipó de mariri. Seu nome vem do idioma quéchua, falado no Peru, e significa algo como “chá dos ancestrais”, em tradução livre. O líquido tem uma cor marrom escura e seu gosto é descrito como extremamente amargo. Não raro, provoca náusea e vômitos em quem consome, principalmente nas primeiras vezes, mas alguns conseguem alterar a consciência e afirmam ver e conversar com entidades fora do mundo físico.

Trata-se de um alucinógeno muito potente e só tem seu uso liberado no Brasil para fins religiosos. A ayahuasca é também chamada de “daime” ou “santo-daime”, nome de um dos cultos religiosos que fazem uso da bebida. As “viagens” proporcionadas pela bebida variam muito de acordo com o estado mental de quem consome, resultando em alucinações agradáveis ou nas chamadas “bad trips”, que costumam ser bem pesadas.

Riscos à saúde

Mestre Irineu, o fundador do santo-daime, dizia quem “o daime é para todos, mas nem todos são para o daime” e isso parece estar de acordo com o que os psiquiatras afirmam. A ayahuasca possui substâncias como a n-dimetiltriptamina (DNT) e inibidores da monoamina oxidase, que agem diretamente no sistema nervoso central e são os responsáveis pelas alucinações, ou “mirações”, como os adeptos chamam.

Veja também:   Por que os ouvidos doem em viagens de avião - e como amenizar isso

Por outro lado, as plantas usadas no preparo da ayahuasca estão sendo constantemente estudadas por suas propriedades medicinais, podendo vir a ajudar em tratamentos para doenças psiquiátricas, afinal, a diferença entre o remédio e o veneno realmente pode ser apenas a dose.



Deixe um Comentário

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com