Cão mais antigo do mundo é redescoberto na natureza

0

Por décadas, cientistas pensavam que o cão selvagem asiático havia desaparecido de seu habitat natural. Agora, de acordo com o site Science Alert, os pesquisadores finalmente confirmaram a existência de uma população saudável e viável, escondida em uma das regiões mais remotas e inóspitas da Terra.

Tratam-se dos canídeos mais antigos e primitivos existentes, segundo um exame de DNA. Uma recente expedição à região da montanha central da Nova Guiné resultou em mais de 100 fotografias de pelo menos 15 exemplares selvagens da espécie, incluindo machos, fêmeas e filhotes, em isolamento e longe do contato humano.

Filhotes da espécie (Foto: NGHWDF)
Filhotes da espécie (Foto: NGHWDF)

“A descoberta do cão selvagem das montanhas pela primeira vez em mais de meio século não é apenas empolgante, mas, também, uma oportunidade incrível para a ciência”, diz o grupo por trás da descoberta, a New Guinea Highland Wild Dog Foundation (NGHWDF).

Passado remoto

Um arisco observador (Foto: NGHWDF)
Um arisco observador (Foto: NGHWDF)

Você, provavelmente, não está familiarizado com essas belas criaturas. O cão selvagem das montanhas só era conhecido a partir de duas fotografias promissoras, mas não confirmadas nos últimos anos – uma de 2005 e outra de 2012.

Não havia certeza sobre sua escala nativa em mais de meio século. Especialistas temiam que o que restava dos cães antigos tinha diminuído para a extinção.

Uma impressão de uma pata, encontrada em em setembro de 2016, deu o que os especialistas procuravam: sinais recentes que algo semelhante a esses cães vagavam pelas florestas densas das montanhas de Nova Guiné.

  Robô da Nasa descobre partes de Marte parecidas com a Terra

Incertezas

Uma fêmea grávida (Foto: NGHWDF)
Uma fêmea esperando por um filhote (Foto: NGHWDF)

Apesar da descoberta, não há tantas evidências da espécie. Permanece a dúvida: qual a relação entre o dingo (canino australiano), o cão-cantor-da-nova-guiné e o cão selvagem asiático?

Veja a explicação do NGHWD:

“O registro fóssil indica que a espécie se estabeleceu na ilha há pelo menos 6 mil anos, acreditando ter chegado com migrantes humanos. No entanto, novas evidências sugerem que eles podem ter migrado independentemente dos seres humanos.

Enquanto a taxonomia e as relações filogenéticas com raças relacionadas e dingos australianos é atualmente controversa e está em revisão – tanto para cães-cantores-da-nova-guiné como para cães selvagens -, a importância científica e histórica do cão selvagem das montanhas continua a ser crítica para a compreensão da evolução dos canídeos, ecologia humana e estabelecimento derivados.”

Características

Cães se diferenciam em suas características visuais (Foto: NGHWDF)
Cães se diferenciam em suas características visuais (Foto: NGHWDF)

Os pelos dos cães selvagens asiáticos são, geralmente, dourados. Entretanto, também há preto e tan, além de variantes de creme. Suas caudas são carregadas altas sobre seus traseiros em uma forma de gancho de peixe, como um Shiba Inu.

As orelhas são eretas e triangulares no topo da cabeça. A vocalização é a mesma dos cães-cantores-da-nova-guiné, espécie próxima da extinção: há cerca de 300 restantes no mundo, vivendo em zoológicos e casas.

Deixe um Comentário

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com