Polvos seriam animais com origem alienígena, segundo pesquisa

0

Os polvos são animais bem peculiares, tanto fisicamente quando pela inteligência que possuem. Muita gente acha que eles são alienígenas e um estudo sobre isso foi conduzido.

Segundo essa pesquisa, os polvos não teriam uma origem totalmente terrestre, surgindo a partir da influência de algum tipo de bactéria que veio de outro planeta ou asteroide.

A pesquisa é assinada por 30 profissionais de diversas áreas, incluindo o astrônomo Chandra Wickramasinghe, conhecido por defender a teoria da panspermia, que diz que a vida na Terra como a conhecemos hoje, surgiu e evoluiu sob influência alienígena.

Ele afirma que o período conhecido como Explosão Cambriana, que originou várias novas espécies, incluindo os polvos, só aconteceu porque meteoros contendo bactérias extraterrestres caíram no planeta.

A teoriz diz que os polvos nada mais são do que lulas que foram submetidas ao contato com micróbios alienígenas. Eles citam características incomuns desses animais, como o grande cérebro, os olhos e a capacidade de regeneração, como indicativos de que a teoria tem fundamentos.

Alguns desses pesquisadores trabalham com uma hipótese ainda mais polêmica. Para eles, é possível que os meteoros que caíram na Terra contivessem não apenas micro-organismos, mas também ovos de polvos, indicando que esses animais são totalmente alienígenas, originados fora da Terra.

E é claro que, com uma teoria dessas, a comunidade científica não receberia esses pesquisadores de forma muito simpática.

Não faz sentido

Diversos cientistas têm se mostrado contrários à pesquisa conduzida por Wickramasinghe e seus parceiros. É o caso do astrobiólogo brasileiro Ivan Paulino Lima, da Nasa.

“Não faz nenhum sentido. Dizer que algo é tão complexo que só pode ter vindo do espaço é até infantil. Existem genomas muito mais complexos que o dos cefalópodes”, disse em entrevista à revista Galileu.

O paleontologista Mark Carnall, da Universidade de Oxford, é ainda mais duro em suas declarações.

“O estudo é sem noção e não respeita os princípios básicos da biologia e evolução dos cefalópodes. Há algumas palavras bonitas e referências recentes verdadeiras, mas a coisa toda deveria ser rapidamente descartada”, escreveu ele em seu Twitter.



Deixe um Comentário

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com