7 assustadores “troféus” de serial killers

0

Muitos serial killers são conhecidos por terem uma espécie de troféu ou souvenir de suas vítimas. Os criminologistas explicam que o troféu é uma maneira que o assassino tem de reviver a emoção de seus crimes novamente, muito tempo depois de te-los cometido. Segundo os psicólogos, os troféus mais comuns vão desde de roupas intimas à mechas do cabelo da vitima.

Alguns assassinos depravados, no entanto, guardam lembranças ainda mais perturbadoras. Na lista a seguir, você confere 7 dos mais arrepiantes troféus de serial killer de todos os tempos:

1. Cabeças – Ted Bundy

ted-bundy
Ted Bundy, cuja boa aparência e atitude encantadora atraiu cerca de 36 mulheres para a morte, manteve guardado troféus de seus terríveis crimes: Cabeças decepadas de suas vítimas. Assim que foi preso, Bundy disse à polícia que havia decapitado 12 de suas vítimas com uma serra, antes de descartar seus corpos. Quatro delas, mais tarde foram encontradas em Taylor Mountain, Utah. Além de Bundy praticar necrofilia, ele também aplicada maquiagem no rosto de suas vítimas e lavava seus cabelos depois de te-las matado.

2. Saliva – Ahmad Suradji

ahmad-suradji
O serial killer indonésio, Ahman Suradji, matou 42 meninas e mulheres ao longo de um período de 10 anos, que teve início em 1986. Ele acreditava que a saliva de suas vítimas lhe dava poderes especiais, assim, ele drenava e bebia a saliva de suas vitimas após estrangulá-las até a morte. Suradji era casado e tinha três esposas, todas irmãs, que o ajudavam a encobrir seus crimes. Ele foi condenado à morte e executado por fuzilamento em 2008.

  Que medo! Mariposa sinistra é flagrada na Austrália e aterroriza internautas

3. Quadrados do tabuleiro de xadrez – Alexander Pichushkin

alexander-pichushkin
O serial killer russo, Alexander Pichushkin, não guardava lembranças físicas de suas vítimas, em vez disso, ele se premiava com um troféu mental para cada assassinato. Pichushkin disse à polícia que seu objetivo era o matar 64 pessoas, o mesmo número de quadrados que tem um tabuleiro de xadrez. Ao todo, ele conseguiu matar 60 pessoas, já que três de suas vítimas conseguiram sobreviver. A maioria de suas vitimas eram mendigos, mas ele também tinha como alvo mulheres, crianças e rapazes. Embora, tenha sido declarado sã o suficiente para ser julgado, Pichushkin confessou que matava porque isso fazia-o sentir como Deus. Ele foi condenado à prisão perpétua.

4. Pés – Jerome Brudos

jerome-brudos
Conhecido como “O Assassino com Fetiche de Sapatos”, Jerome Brudos, foi condenado pelo assassinato de quatro mulheres em Oregon. Uma longa investigação levou a polícia a Brudos, que confessou ter estrangulado e assassinado suas vítimas. Mas como bem ficou conhecido, Brudos tinha um bizarro fetiche por pés. Ele manteve guardado o pé esquerdo de sua primeira vítima, Linda Slawson, e iria utilizá-lo como molde para fabricar sapatos. A polícia também encontrou dois pares de seios amputados que Brudos usava como pesos de papel. Ele foi o preso que passou mais tempo encarcerado na história do estado de Oregon. Brudos ficou preso por 37 anos, antes de morrer de um câncer no fígado em 2006. Mesmo encarcerado, ele tinha pilhas e mais pilhas de catálogos de calçados femininos, que ele chamava de um “substituto” para a pornografia.

  6 propagandas da Disney da Segunda Guerra Mundial

5. Olhos – Charles Albright

charles-albright
Conhecido como “Estripador de Dallas” ou “Assassino do Globo Ocular”, Charles Albright, foi apenas condenado pelo assassinato de Shirley Williams, mesmo a polícia tendo certeza de que ele matou pelo menos mais três mulheres em Dallas no início dos anos 90. Todas as três vítimas, que foram baleadas várias vezes no rosto e na cabeça, tiveram os dois olhos arrancados. Albright, supostamente, mantinha os olhos de suas vitimas como um souvenir. As autoridades encontraram cabelo na cena do crime que combinava com o de Shirley Williams, mas infelizmente, as provas dos assassinatos das outras duas vítimas, foram apenas circunstanciais, e o tribunal não poderia obter uma condenação.

6. Genitais – Jeffrey Dahmer

jeffrey-dahmer
Em Setembro de 1988, a avó de Jeffrey Dahmer o mandou embora de casa por duas razões: Dahmer estava sempre trazendo rapazes em casa tarde da noite e um cheiro ruim estava sempre exalando da garagem e porão da casa. Provavelmente, seu avó não desconfiava que seu neto fosse capaz de assassinar e desmembrar 17 pessoas. Mas Dahmer não era apenas um assassino; ele também era um necrófilo que mantinha como troféus, os genitais de suas vítimas (conservados em acetona), além das cabeças e crânios delas. Depois de confessar seus crimes para a polícia, Dahmer também disse que havia construído um altar em sua casa feito de cabeças e caveiras humanas decepadas. Quando perguntado a quem o altar era dedicado, Dahmer respondeu: “A mim mesmo… é um lugar que eu poderia me sentir em casa”.

7. Roupas Intimas – Anatoly Onoprienko

anatoly-onoprienko
O serial killer ucruniano, Anatoly Onoprienko, matou 52 pessoas ao longo de seis meses. Depois de ser preso, a polícia encontrou mais de 100 pertences de suas vítimas na posse de Onoprienko, incluindo pares de roupa intimas de todas as suas vítimas do sexo feminino. Ao ser preso, ele contou detalhadamente cada assassinato que cometeu e afirmou também que havia presenteado sua namorada na época, com alguns de seus queridos troféus.

  Em 530 cidades do Brasil, só existe emprego nas prefeituras
Fonte



Deixe um Comentário

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com